Contag quer plano safra específico para agricultura familiar

Confederação participa nesta quarta-feira de vídeoconferência com ministra

Produção de abacaxiProdução de abacaxi - Foto: Ed Machado/Folha de Pernambuco

A Confederação Nacional dos Trabalhadores Rurais Agricultores e Agricultoras Familiares (Contag) quer que o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) estabeleça um plano safra específico para a agricultura familiar.

A proposta vai ser discutida por videoconferência nesta quarta-feira (22) com a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, dirigentes da confederação e presidentes de federações de agricultores.

Leia também:
Congresso amplia medidas emergenciais e infla conta da crise
Casos de síndrome respiratória aguda crescem com menos intensidade


A Contag também quer tratar de assistência e extensão rural e do aumento do volume de recursos para financiamento da produção da agricultura familiar (Pronaf Crédito) e para programas como o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA).

Plano Safra
O Plano Safra é uma iniciativa do governo federal que orienta a destinação de recursos para a cadeia do agronegócio e viabiliza o financiamento e a securitização da atividade agrícola e comercialização da produção em em todo o Brasil.

Em geral, o plano é fechado entre os meses de junho e julho. Por causa da epidemia do novo coronavírus (Covid-19), o Mapa tem recebido demandas para antecipar a medida. Para a safra 2019/2020, o governo liberou mais de R$ 225 bilhões.

Agenda

Antes da reunião com a Contag, Tereza Cristina participa de videoconferência Hemisférica com ministros de Agricultura. E ao término do dia, a titular do Mapa tem na agenda mais uma videoconferência com dirigentes do banco Credit Suisse Brasil.

Veja também

Setor de casa e construção é o que mais cresce no mercado de franquias
Economia

Setor de casa e construção é o que mais cresce no mercado de franquias

Relator vota contra autonomia do BC, mas vista adia julgamento no STF
Justiça

Relator vota contra autonomia do BC, mas vista adia julgamento no STF