Controladoria-Geral da União reconhece 26 empresas com selo de integridade

Auditores da CGU fazem a análise a partir de documentos apresentados pelas empresas interessadas em competir

Banco do Brasil  Banco do Brasil  - Foto: Arquivo/Agência Brasil

Vinte e seis empresas receberam da CGU (Controladoria-Geral da União), nesta quinta-feira (12), uma certificação de integridade e de boas práticas de transparência.

A premiação Empresa Pró-Ética é entregue a instituições que adotam as melhores práticas, baseadas na Lei Anticorrupção, para detectar e interromper atos ilícitos, como fraudes e corrupção.

Auditores da CGU fazem a análise a partir de documentos apresentados pelas empresas interessadas em competir.

Leia também:
CGU vê falha em fiscalização de royalties de mineração
CGU suspendeu R$ 812 milhões em editais por suspeita de fraude


Na edição 2018-19 foram reconhecidas empresas de diversos ramos, como energia, engenharia, assistência médica, serviços bancários, telecomunicações e consultoria, entre outros.

Para o prêmio atual, houve 373 inscrições. Destas, 222 empresas foram admitidas e 152 foram avaliadas antes do anúncio das 26 vencedoras.

"Tenho certeza que o esforço de vocês vai compensar e trazer um ganho de imagem, qualidade e de integridade para o nosso país", declarou aos contemplados o ministro Wagner Rosário, da CGU.

"É um trabalho difícil, duro, em que a empresa tem que se policiar", complementou o ministro.

De acordo com Cláudia Taya, secretária de Transparência e Prevenção da Corrupção
da CGU, 52% das companhias aprovadas no prêmio têm faturamento superior a R$ 1 bilhão.

As demais empresas contempladas possuem os seguintes faturamentos: até R$ 16 milhões (8%); até R$ 90 milhões (12%); até R$ 300 milhões (12%) e até R$ 1 bilhão (16%).

"A gente fica feliz em reconhecer o trabalho das pequenas empresas, que precisam se inserir nesse processo e se identificar. Porque hoje quem não tem programa de integridade está fora do mercado", disse a secretária.

A Empresa Pró-Ética é fruto da união da CGU ao Instituto Ethos e colaboração de outras oito instituições, como a Apex (Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos). A importância da participação ativa do setor privado no enfrentamento à corrupção é um dos motivos para fomentar as boas iniciativas.

O prêmio neste ano ocorreu em meio à Primeira Conferência Internacional de Promoção da Integridade, realizado em Brasília.

Participou do evento, além de Rosário, o advogado-geral da União, André Mendonça.

A certificação é um reconhecimento público de que essas empresas adotam ações para prevenir irregularidades.

A premiação não prevê nenhum tipo de vantagem às empresas em relação ao setor público. A iniciativa é relevante por promover reconhecimento das instituições e avaliação das medidas adotadas.

Veja a lista das 26 empresas premiadas:
- 3M do Brasil
- ABB
- Alubar Metais e Cabos
- Amil Assistência Médica Internacional
- Banco do Brasil
- CCEE (Câmara de Comercialização de Energia Elétrica)
- Sabesp
- Copel (Companhia Paranaense de Energia)
- CPFL Energia
- Enel Brasil
- Ernest & Young Auditores Independentes
- Grupo Fleury
- ICTS Global Serviços de Consultoria em Gestão de Riscos
- Itaú Unibanco Holding
- MIP Engenharia
- Natura Cosméticos
- Neoenergia
- Nova/sb (agência de comunicação)
- Novo Nordisk Farmacêutica do Brasil
- Oncoclínicas do Brasil Serviços Médicos
- PPG Industrial do Brasil Tintas e Vernizes
- Radix Engenharia e Desenvolvimento de Software
- Tecnew Consultoria em Informática
- Tim
- Unimed Belo Horizonte Cooperativa de Trabalho Médico
- Vezzi Lapolla Mesquita Advogados

Veja também

Guedes defende fala sobre excesso de comida e lamenta 'ironia' da imprensa
Economia

Guedes defende fala sobre excesso de comida e lamenta 'ironia' da imprensa

Senai oferece cursos gratuitos de capacitação profissional
Oportunidade

Senai oferece cursos gratuitos de capacitação profissional