Coreia do Sul comprará manga do São Francisco

Uma delegação sul-coreana está no Vale para conhecer as instalações e fechar negócios

Maggi: “É importante termos o envolvimento do setor produtivo na negociação”Maggi: “É importante termos o envolvimento do setor produtivo na negociação” - Foto: Wilson Dias/ABr

 

A partir desta quarta-feira (23), os produtores do Vale do São Francisco podem exportar manga para a Coreia do Sul. Feito pelo ministro da Agricultura, Blairo Maggi, durante passagem pela região ontem, o anúncio animou os fruticultores, que, atualmente, comercializam a fruta para países da Europa, Américas do Norte e do Sul e África.

Por ano, são vendidas 130 mil toneladas para esses destinos, movimentando US$ 180 milhões. Nos últimos cinco anos, a venda para o mercado externo cresceu entre 5% e 10%, e Pernambuco tem se beneficiado diretamente com essa expansão, já que responde por 85% das exportações de mangas do País.
De acordo com o gerente-executivo da Associação dos Exportadores Hortigrangeiros e Derivados do Vale do São Francisco (Valexport), Tássio Lustoza, a notícia é importante porque significa mais uma conquista de mercado. “E a luta começa amanhã (hoje), quando levaremos a delegação sul-coreana para conhecer as instalações do Vale”, adiantou. Cinco pessoas do país asiático estão em Petrolina e a expectativa é que novos negócios sejam fechados na ocasião.
Mas essa, segundo Lustoza, não é a primeira vez que eles visitam o Vale. “Em 2012, apresentaram seus interesses e mostraram quais seriam suas exigências. De lá para cá, nos adequamos. Eles viram que as nossas mangas são únicas e de qualidade”, relembrou o gerente.

Além de assinar o acordo bilateral entre os países, Maggi ouviu as demandas dos produtores locais e se comprometeu em contribuir para que os mesmos aumentem ainda mais a participação de frutas, vinhos e espumantes da região no mercado nacional e internacional.
“Para nós é importante termos o envolvimento do setor produtivo na negociação externa ao lado do Governo”, ressaltou Maggi, que está em visita ao Nordeste acompanhado de secretários do ministério. Os fruticultores reclamaram ainda de problemas de legislação trabalhista e de burocracia. Blairo lembrou que o Governo Federal lançou, em agosto deste ano, o Agro+, plano voltado à desburocratização, modernização e simplificação de normas e procedimentos.
Ainda no encontro, o representante da pasta nacional foi objetivo ao assumir a responsabilidade de informar ao Governo Federal sobre a crise hídrica vivida pela região. “O gerenciamento de águas não é atribuição do Ministério da Agricultura, mas vamos levar essa preocupação para o Governo”.

 

Veja também

Indicador de incerteza da economia recua pelo sexto mês
Economia

Indicador de incerteza da economia recua pelo sexto mês

Banco Mundial aprova empréstimo de US$ 1 bilhão para ampliação do Bolsa Família
Economia

Banco Mundial aprova empréstimo de US$ 1 bilhão para ampliação do Bolsa Família