Correios apresentam lucro de R$ 667 milhões em 2017

s números foram apresentados pelo ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab, e presidente dos Correios, Carlos Fortner, que comemoraram os esforços pela recuperação gradativa da empresa

Correios do RecifeCorreios do Recife - Foto: Paullo Allmeida/Folha de Pernambuco

A direção dos Correios anunciou nesta quarta-feira (9) que o balanço da empresa indica lucro de R$ 667 milhões em 2017. Foi o melhor resultado dos últimos cinco anos. Em 2016, houve prejuízo de R$ 1,48 bilhões e, anteriormente, em 2015 o resultado negativo atingiu R$ 2,12 bilhões. Os Correios vinham apresentando resultados negativos desde 2013. 

Os números foram apresentados pelo ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab, e presidente dos Correios, Carlos Fortner, que comemoraram os esforços pela recuperação gradativa da empresa. O balanço foi aprovado pelo Conselho Fiscal dos Correios e será submetido nesta quinta-feira (10) à deliberação do Conselho de Administração da empresa.

Leia também:
Ministro da Fazenda diz que controle da Eletrobras será pulverizado
Hemobrás pode perder plasma em estoque

Kassab e Fortner disseram que essas ações incluem revisão de contratos, racionalização de custos com pessoal e de encargos sociais e a revisão do custeio do plano de saúde, além da otimização da rede de atendimento, com foco nas necessidades dos clientes e aderente aos novos mercados e serviços.

Em junho de 2016, sob a direção do então presidente Guilherme Campos, os Correios começaram um processo de transformação. Fortner afirmou que a empresa se mantém focada em consolidar as iniciativas de recuperar o equilíbrio financeiro, otimizar a gestão e controlar despesas.

Os Correios tiveram sua origem no Brasil, em 1663, atualmente estão presentes em 5.570 municípios. A empresa entrega, mensalmente, cerca de meio bilhão de objetos postais, em um total de 25 milhões de encomendas. No total, são 106 mil funcionários que trabalham em mais de 12 mil unidades entre agências e centros de distribuição, tratamento e logística.

Veja também

INSS pede para servidores entrarem em grupo prioritário da vacinação
VACINAÇÃO CONTRA COVID-19

INSS pede para servidores entrarem em grupo prioritário

Presidente da Eletrobras troca empresa pela BR Distribuidora
Economia

Presidente da Eletrobras troca empresa pela BR Distribuidora