Correios não recebem nenhuma proposta para Banco Postal

Banco Postal é um correspondente na prestação de serviços bancários básicos, resultado de parceria entre os Correios e uma instituição financeira

Marília Arraes (PT) se reuniu com parlamentares em BrasíliaMarília Arraes (PT) se reuniu com parlamentares em Brasília - Foto: Divulgação

Os Correios não receberam nenhuma proposta de instituição financeira para prestar os serviços de correspondente do Banco Postal. Segundo aviso da empresa publicado na internet, não foi recebida nenhuma proposta técnica dos bancos, até o final do prazo na última sexta-feira (11). A reunião de seleção pública, marcada para nesta segunda-feira (14), foi cancelada devido à falta de propostas.

O Banco Postal é um correspondente na prestação de serviços bancários básicos, resultado de parceria entre os Correios e uma instituição financeira.

No aviso, não há informação se haverá novo edital para seleção pública. O Banco do Brasil assumiu o Banco Postal em janeiro de 2012, no lugar do Bradesco. O contrato com o Banco do Brasil termina no dia 2 de dezembro deste ano.

No dia 6 de outubro, o Banco do Brasil e os Correios encerraram negociações para ampliar os serviços do Banco Postal. E os Correios anunciaram um processo de seleção pública para escolher uma instituição financeira para prestação de serviços de correspondente bancário.

Em nota, os Correios informaram que permanece em negociação a assinatura de contrato temporário com o atual parceiro, o Banco do Brasil, para manutenção do serviço após o término do contrato atual. "O contrato temporário terá a vigência de até seis meses, prorrogáveis pelo mesmo período, e garantirá a normalidade dos serviços do Banco Postal enquanto os Correios avaliam o projeto de prestação de serviços bancários em sua rede de atendimento", disse a nota dos Correios.

Veja também

Contratação de temporários para o Natal deve ser a menor desde 2015
economia

Contratação de temporários para o Natal deve ser a menor desde 2015

Faturamento do setor de turismo no Brasil tem redução de 33,6% em 2020
turismo

Faturamento do setor de turismo no Brasil tem redução de 33,6% em 2020