Criadores de cavalos na era digital

Incubada no Porto Digital, a startup Klopr criou uma plataforma para conectar vendedores e compradore

Meta dos empreendedores é levar o serviço a outros paísesMeta dos empreendedores é levar o serviço a outros países - Foto: Ed Machado/ Folha de Pernambuco

A tecnologia está de olho nas potencialidades do agronegócio brasileiro. E não é à toa. De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a agropecuária cresceu 15,2% no primeiro trimestre deste ano em relação ao mesmo período de 2016. Apesar desses resultados terem relevância para o crescimento do País, o setor enfrenta a dificuldade de acesso às tecnologias que impulsionem a atividade produtiva.

Os pernambucanos Thiago Ramos, 33 anos, Abelardo Santana, 36 anos, e Bruno Souza, 31, perceberam o potencial desse nicho e criaram a “agritech da indústria do cavalo”, a partir de um investimento de R$ 30 mil. Chamada de Klopr, a startup reúne vendedores e compradores de cavalos através de uma plataforma digital. Em três meses de atuação, 300 usuários já estão conectados.

Leia também:
Bailarina vira referência no mundo digital e lança site para difundir mercado de ballet no Brasil
Custo da internet é entrave

"Somos um market place da indústria do cavalo, em que propomos a redução de custos com marketing, leilões e intermediários em troca de uma rede de contatos. Em alguns casos, o custo com um intermediário (para compra de um equino), por exemplo, chega a ser de 5% a 10% em cima do valor do cavalo só para concluir a transação", disse Abelardo Santana, acrescentando que a ideia do projeto surgiu após conversas sobre a dificuldade de se fechar negócios na área. Santana, junto com os amigos, já tinha uma empresa do ramo de tecnologia.

"A Klopr nasceu como um produto da Alfaia (a empresa), mas agora segue seus próprios passos como uma empresa independente", afirmou. Incubado no Porto Digital, o projeto quer se fortalecer como uma das principais redes dos produtores rurais do País. “Sobretudo para Minas Gerais e Bahia, que possuem a maior quantidade de animais do País. Além disso, não queremos esquecer de outras regiões do Brasil, a exemplo do Nordeste - que concentra eventos importantes para o setor", frisou Santana.

Abelardo Santana e os sócios não devem parar por aí. Em 2018, eles esperam cumprir a ousada meta de atuar internacionalmente. "A indústria de cavalos movimenta bilhões, mas a dificuldade de conexão dos agentes do setor os impede de ampliar suas possibilidades de negócios e fazer conexões em maior escala. E a Klopr se propõe a ser uma rede social em que o produtor poderá não só encontrar animais, mas criadores, veterinários, medicamentos, eventos, treinadores, nutrição, transporte e demais agentes do setor, compartilhando conhecimento e fazendo negócio com qualquer pessoa do mundo", detalhou.

A plataforma tem acesso via web/mobile e o app tem previsão de lançamento para o fim do segundo semestre deste ano.

Veja também

Mega-Sena pode pagar hoje R$ 17 milhões a quem acertar as 6 dezenas
CONCURSO

Mega-Sena pode pagar R$ 17 milhões a quem acertar as 6 dezenas

A força do networking na carreira da mulher
Folha Finanças

A força do networking na carreira da mulher