Crise chega às empresas do setor de TI

Pernambucanas cobram do Estado débitos milionários, os quais estão prejudicando sua saúde financeira

André de Paula é deputado federal reeleito pelo PSDAndré de Paula é deputado federal reeleito pelo PSD - Foto: Paullo Allmeida/Folha de Pernambuco

 

Entidades que representam a indústria de Tecnologia da Informação pernambucana enviaram ofício ao Governo de Pernambuco cobrando mais compromisso com o setor. Elas reclamam que o Estado não está pagando em dia os fornecedores de tecnologia, acumulando débitos milionários que atrapalham o crescimento do setor. Ainda assim, lançou um edital de contratação de suporte para computadores de R$ 90 milhões.
“Temos empresas que estão sem receber há cinco meses. Então, como Estado quer contratar o mesmo serviço sem pagar o que já está posto?”, reclamou o presidente do Sindicato de Processamento de Dados de Pernambuco (Seprope), Gerino Xavier.
Presidente da Associação Brasileira das Empresas de Tecnologia da Informação (Assespro), Ítalo Nogueira ainda disse que esse valor impossibilita a participação das empresas pernambucanas no pregão já que, para isso, é preciso ter 10% do montante em patrimônio líquido, no caso R$ 900 mil. “Este é apenas um dos pontos de restrição, porque o edital ainda exige qualificações técnicas que não são atendidas nem por algumas das grandes empresas locais”, revelou.

Por conta do impasse, o ofício, que ainda conta com o apoio do Centro de Excelência
em Tecnologia de Software do Recife (Softex Recife), pede a revogação do edital, que foi publicado no último dia 17 e teria as propostas abertas na próxima quarta-feira.

“Queremos que o edital seja republicado de maneira que atenda aos interesses de economicidade e concorrência, possibilitando a participação das empresas locais”, falou Nogueira, lembrando que é papel do Estado contribuir com o desenvolvimento da indústria local. Hoje, o Governo é um dos principais compradores das empresas de tecnologia da informação. Por isso, com o atraso do pagamento estadual, o setor reduziu os investimentos e não deve apresentar crescimento neste ano.

Presidente da Agência Estadual de Tecnologia da Informação (ATI), Romero Guimarães explicou que o atraso de pagamento é um reflexo da crise econômica nacional e atinge todos os estados e setores econômicos por conta da queda na arrecadação. Ele ainda alegou que o edital citado tem orçamento elevado porque reúne o serviço de suporte de computadores de todos os órgãos estaduais, que até o ano passado era licitado separadamente. Mesmo assim, Guimarães se comprometeu a ouvir as queixas das entidades e republicar o edital.

 

Veja também

Ministério de Infraestrutura entregará planos de estratégia logística para até 2050
Economia

Ministério de Infraestrutura entregará planos de estratégia logística para até 2050

Banco Central aprova 762 instituições para o Pix
Economia

Banco Central aprova 762 instituições para o Pix