A-A+

Defensoria recomenda que empresas de telefonia não cortem os serviços

Segundo a Defensoria, a recomendação feita nesta terça-feira (31) foi tomada a fim de "minimizar os danos causados pela quarentena"

Empresas de telefoniaEmpresas de telefonia - Foto: Pixabay

A Defensoria Pública de Pernambuco (DPPE) recomendou às empresas de telefonia que não sejam feitos cortes dos serviços em casos de inadimplência durante a pandemia causada pelo novo coronavírus. Segundo a Defensoria, a recomendação feita nessa terça-feira (31) foi tomada a fim de "minimizar os danos causados pela quarentena".

Além de recomendar que os serviços não sejam suspensos, a DPPE também solicitou que sejam sejam restabelecidos os serviços já cortados durante o período de calamidade pública e que as companhias disponibilizem pacotes mínimos a clientes pré-pagos que estiverem sem créditos.

Os pacotes devem permitir realização de ligações, envios de mensagens de texto e pacote de dados de acesso à internet. A recomendação também pede que sejam utilizados "meios menos gravosos de cobrança".

Leia também:
Celpe não poderá suspender fornecimento de energia durante pandemia
Empresas já negociam individualmente corte de jornada e suspensão de contratos
Jeep vai mobilizar recursos e estrutura no combate ao coronavírus em Pernambuco

As empresas de telefonia têm um prazo de 48 horas informar se acatam ou não as recomendações da Defensoria. Em nota, a DPPE advertiu que, caso seja necessário, poderá adotar medidas judiciais para a resolução do problema.

Acompanhe a cobertura em tempo real da pandemia de coronavírus

 

 

Veja também

Em dois dias, vendas on-line na Black Friday somam R$ 5,4 bi e ficam abaixo da expectativa
Economia

Em dois dias, vendas on-line na Black Friday somam R$ 5,4 bi e ficam abaixo da expectativa

Latam apresenta plano de recuperação de US$ 8,19 bilhões à Justiça americana
Companhia aérea

Latam apresenta plano de recuperação de US$ 8,19 bilhões à Justiça americana