Déficit primário do Governo Central deve cair para R$ 159,5 bi, diz pesquisa

Para 2017, a estimativa de déficit passou de R$ 145,3 bilhões para R$ 144,7 bilhões

São João de Gravatá, no AgresteSão João de Gravatá, no Agreste - Foto: Ricardo Labastier/SECOM Gravatá

Instituições financeiras consultadas pelo Ministério da Fazenda esperam que o déficit primário do Governo Central (Tesouro Nacional, Previdência Social e Banco Central) termine este ano em R$ 159,5 bilhões ante o resultado negativo de R$159,8 bilhões, previsto anteriormente.

A projeção consta na pesquisa Prisma Fiscal elaborada pela Secretaria de Política Econômica do Ministério da Fazenda, com base em informações de 30 instituições financeiras do mercado. O resultado foi divulgado nesta quinta-feira (17). Para 2017, a estimativa de déficit passou de R$ 145,3 bilhões para R$ 144,7 bilhões.

A projeção da arrecadação das receitas federais, este ano, subiu de R$ 1,269 trilhão para R$ 1,288 trilhão. Para 2017, a estimativa passou de R$ 1,354 para R$ 1,356 trilhão.

Para a receita líquida do Governo Central, a estimativa é que suba de R$ 1,078 trilhão para R$ 1,092 trilhão este ano e no ano que vem apresente queda, registrando R$1,169 trilhão. No caso da Despesa Total do Governo Central, a projeção chega a R$ 1,247 trilhão em 2016 e R$ 1,316 trilhão no ano que vem.

A pesquisa apresenta também a projeção para a dívida bruta do governo central, que na avaliação das instituições financeiras, deve cair de 73,50% do Produto Interno Bruto (PIB) para 73,20% este ano. Para 2017, a estimativa mudou de 78,20% para 78,22% do PIB.

Veja também

Pix terá serviço de cobrança semelhante a boleto
pix

Pix terá serviço de cobrança semelhante a boleto

Bolsa reage e volta a subir após quatro sessões de queda
BOLSA DE VALORES

Bolsa reage e volta a subir após quatro sessões de queda