Delta fecha compra de 20% da Latam por US$ 1,9 bilhão

O acordo depende ainda do aval de autoridades regulatórias, incluindo o Cade (Conselho Administrativo de Defesa da Concorrência)

LatamLatam - Foto: divulgação

A companhia aérea Delta fechou a compra de 20% de participação da Latam por US$ 1,9 bilhão (R$ 7,9 bilhões). A Delta tem participação de 12,3% na brasileira Gol, que deve ser vendida.

O acordo depende ainda do aval de autoridades regulatórias, incluindo o Cade (Conselho Administrativo de Defesa da Concorrência).

Em comunicado ao mercado, a companhia americana afirmou que investirá outros US$ 350 milhões (R$ 1,4 bilhão) para apoiar o início da parceria entre as empresas.

Leia também:
Latam é multada em R$ 500 mil por proibir embarque de passageira com autismo
Latam é autuada por proibir embarque de passageira com autismo


Além disso, a Delta também comprará quatro aviões modelo A350 da Latam e se comprometeu a comprar outros dez aparelhos do mesmo modelo, que serão entregues entre 2020 e 2025.

O acordo, que será financiado pela Delta com emissão recente de dívida e recursos em caixa, marca o maior investimento da companhia aérea americana desde sua fusão com a Northwest Airlines, uma década atrás.

Segundo o comunicado, a Delta espera capturar ganhos com a operação nos próximos dois anos e a aquisição não deve ter impacto significativo nos números da empresa.

Para a Latam, a venda de 20% de participação deve reduzir a dívida futura em US$ 2 bilhões (R$ 8,3 bilhões) até 2025. A dívida bruta total da empresa chinela é de US$ 10,6 bilhões (R$ 44 bilhões).

A Delta possui 12,3% das ações preferenciais da Gol, que devem ser vendidas, segundo afirmou o presidente da Delta, Ed Bastian, à agência de notícias Reuters.

Com o anúncio do acordo, das ADRs (recibos de ações) negociados em Nova York da Latam saltaram quase 50%, enquanto as ADRs da Gol recuaram perto de 10%.

A Gol é a líder de participação de mercado no Brasil, com 38,2% dos passageiros por quilômetro transportado (RPK), segundo dados da Anac. A Latam vem logo atrás, com 35,9% de participação e é seguida pela Azul, com 25,5%.

Bastian disse ainda não esperar obstáculos regulatórios para a aliança com a Latam, na qual terá representação no conselho de administração. Segundo o executivo, Delta e Latam poderão começar operações de code share (compartilhamento de voos) antes de receberem aprovações governamentais para a aliança, processo que ele disse esperar que leve entre 12 e 24 meses.

Também como resultado do acordo com a Delta, a Latam vai deixar a aliança de companhias aéreas Oneworld, da qual é membro de 2000. Na Oneworld, a Latam compartilhava voos com a American Airlines.

A Delta é a maior companhia aérea dos Estados Unidos em receita. Já a Latam é fruto da fusão feita em 2010 da chilena Lan com a brasileira TAM, com operações nos principais países da América do Sul.

As empresas afirmam que juntas voarão para 435 destinos e serão as maiores transportadoras de passageiros entre as Américas do Sul e do Norte. As duas empresas têm sobreposição em apenas uma rota, segundo o executivo da Delta.

No comunicado, o presidente da Latam, Enrique Cueto Plaza, afirmou que "esta aliança com a Delta fortalecerá a nossa companhia e ampliar a nossa liderança na América Latina, ao oferecer a melhor conectividade com através da nossa rota aérea complementar".

1º.sem.2019
Delta
Receita operacional: US$ 23 bilhões
Lucro: US$ 2,1 bilhões

Latam
Receita operacional: US$ 4,8 bilhões
Prejuízo: US$ -122,891
Dívida: US$ 10,6 bi

Veja também

Pernambuco ganha fábrica na Mata Sul que vai gerar 250 empregos
pernambuco

Pernambuco ganha fábrica na Mata Sul que vai gerar 250 empregos

Novo jogo para celular do grupo de K-pop BTS está disponível para download
games

Novo jogo para celular do grupo de K-pop BTS está disponível para download