Demanda de micro e pequenas empresas por crédito recua

Três fatores contribuíram para a queda: muitos mantém seus negócios com recursos próprios (37,6%); não têm outros formas de investir (26,0%) ou reclamam das altas taxas de juros do País

O senador Alvaro Dias (Pode-PR), autor do projeto, disse que o objetivo é “prestigiar a moralidade administrativa e a igualdade entre os candidatos"O senador Alvaro Dias (Pode-PR), autor do projeto, disse que o objetivo é “prestigiar a moralidade administrativa e a igualdade entre os candidatos" - Foto: Marcos Oliveira/Agência Senado

 

Após dois meses de alta, a demanda das micros e pequenas empresas por crédito caiu para 12,04 pontos na passagem de agosto para setembro deste ano. Quanto mais próximo o índice for de 100, maior é a probabilidade dos empresários procurarem recursos emprestados. Se comparado a setembro de 2015 (11,11 pontos), o índice registrou uma leve melhora. A pesquisa do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) também aponta que oito em cada dez micros e pequenos empresários não planejam tomar crédito para seus negócios.

Três fatores contribuíram para a queda: muitos mantém seus negócios com recursos próprios (37,6%); não têm outros formas de investir (26,0%) ou reclamam das altas taxas de juros do País. “Os empresários estão reticentes para assumir compromissos financeiros de longo prazo, já que os juros estão elevados e a demanda do consumidor segue em baixa pela queda da renda e aumento do desemprego”, comentou economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti.

Geralmente, os recursos de empréstimos são utilizados na reforma de empresa, na ampliação de estoque, em ações de comunicação e propaganda e na compra de equipamentos. Porém, os dados do mês passado revelaram que a maior parte dos empresários (72,0%) não estão dispostos a empregar recursos na melhoria ou expansão dos negócios nos próximos 90 dias. “Nesses momentos de recessão é muito comum o empresário ter receio de investir e procurar novos créditos. Porém para interessados, o primeiro passo é planejar o que vai fazer e como vai fazer”, aconselhou Marcela.

 

Veja também

Usina negocia crédito de carbono
Cana-de-açúcar

Usina negocia crédito de carbono

237 mil trabalhadores com salário reduzido têm atraso em benefício do governo
economia

237 mil trabalhadores com salário reduzido têm atraso em benefício do governo