Arremate

Detran-PE faz leilão de veículos com lance mínimo de R$ 100

O objetivo é inserir o órgão de trânsito na agenda ambiental ao colaborarem para a reciclagem automotiva e para a retirada de veículos abandonados nas ruas

Detran-PE realiza leilão de carros Detran-PE realiza leilão de carros  - Foto: Paulo Maciel/Detran-PE

Interessados em adquirir um veículo conservado ou em estado de sucatajá podem se programar para o 17º leilão de veículos do Departamento Estadual de Trânsito de Pernambuco (Detran-PE). 
 
O leilão conta com 393 veículos, entre carros e motos, cujo lance mínimo tem início a partir de R$ 100 e acontece, nesta sexta-feira (10), de forma virtual, no site da Coliseum Leilões, às 9h. 
 
O objetivo é inserir o órgão de trânsito na agenda ambiental ao colaborar para a reciclagem automotiva e para a retirada de veículos abandonados nas ruas.
 


O edital de descrição contendo as especificações e condições da participação do leilão, além de informações gerais sobre o leilão, a exemplo das normas, documentação exigida e taxas de administração a serem pagas pelos arrematantes, pode ser acessado no site do Detran. 
 
O arrematante deverá requerer e pagar pela expedição da 2º via do Certificado de Registro do Veículo (CRV). Cabe a ele também arcar com o valor dos serviços de Baixa do Gravame dentre outras taxas como a de Licenciamento, a de transferência do veículo e a taxa de Emplacamento. 
 
O dinheiro arrecadado no leilão é usado para pagar as dívidas dos veículos apreendidos. Quitados os débitos, o resíduo restante – caso haja – volta para o proprietário anterior do veículo.
 
Os veículos a serem leiloados estarão disponíveis no site da Coliseum com vídeos detalhados. 

 

Veja também

Ministros das Finanças do G20 discutem no Brasil economia ameaçada por conflitos
G20

Ministros das Finanças do G20 discutem no Brasil economia ameaçada por conflitos

Lula afirma que Vale precisa "prestar contas ao Brasil" e não pode agir como "dona" do país
BRASIL

Lula afirma que Vale precisa "prestar contas ao Brasil" e não pode agir como "dona" do país