Dia das Mães tem expectativa otimista para vendas deste ano

82,9% dos consumidores entrevistados pela Fecomércio-PE desejam presentear suas mães

Os presentes mais buscados até agora são as roupas ou acessórios do vestuárioOs presentes mais buscados até agora são as roupas ou acessórios do vestuário - Foto: Ed Machado/Folha de Pernambuco

Segunda melhor data para o comércio, atrás apenas do Natal; o Dia das Mães deve ter um saldo positivo para o varejo pernambucano neste ano. O crescimento do volume de vendas projetado pelo setor é 6,9% maior em relação ao de 2018. Isso porque 82,9% dos consumidores entrevistados pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Pernambuco (Fecomércio-PE) desejam presentear suas mães. E o gasto médio previsto para a comemoração é de R$ 220. O valor é 7,7% maior que o do ano passado e tem animado os comerciantes, tanto que 10,7% desses empresários já pensam em efetuar contratações temporárias para atender a demanda da data.

Economista da Fecomércio-PE, Rafael Ramos lembra que, em 2018, o crescimento das vendas foi de 11,3%, mas ressalta que esse percentual não correspondia à realidade, já que, nos anos anteriores, os resultados foram muito tímidos por conta da crise econômica. "O índice de 2018 não representa bem a realidade, uma vez que se torna mais fácil elevar o número após o período de retrocesso", argumenta o economista, dizendo que, por isso, este Dia das Mães deve ser mais positivo que o do ano passado para o comércio.

Ramos diz ainda que o otimismo do setor se justifica porque os consumidores também estão mais confiantes neste ano. "O acesso ao crédito tem sido um dos principais motivos para que as pessoas voltem a consumir", explica, dizendo que, por isso, o cartão de crédito deve ser a forma mais comum de pagamento neste ano. Segundo a Fecomércio, o cartão deve ser usado por 29% dos consumidores. Já o dinheiro, que foi mais usado no ano passado, deve ser o meio de pagamento de 23% dos compradores.

Leia também: 
Vendas para o Dia das Mães crescem 5%
Consumidor pretende gastar R$ 108 com presente do Dia das Mães


Já os locais que devem concentrar a maior parte das vendas são os shopping centers. Segundo a Fecomércio-PE, 45% dos consumidores comprarão o presente das mães nos shoppings, por conta da comodidade, conforto, segurança e do costume do pernambucano de frequentar esses locais. Por isso, esses estabelecimentos devem registrar um incremento de até 13% nas vendas. Os shoppings Tacaruna e Plaza, por exemplo, esperam elevar o volume de vendas em cerca de 8% no período. Quanto aos presentes, os mais buscados até agora são as roupas ou acessórios do vestuário (34,6%), perfumes e cosméticos (21%), sapatos, sandálias e acessórios de calçados (19,5%).

Presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL-Recife), Cid Lobo, por sua vez, tem projeções mais moderadas. Ele explica que nem todos os consumidores terão condições financeiras de presentear suas mães. “Desemprego, economia desaquecida, são fatores que desfavorecem o setor. Mesmo em ritmo menor, as vendas devem crescer cerca de 2% em relação ao ano anterior”, avalia Lobo.

Para não sofrer com o movimento sazonal e fazer seu dinheiro render mais, a Fecomércio-PE recomenda para o consumidor se adiantar e sempre pesquisar antes de fazer a compra do presente do Dia das Mães.

Veja também

Caixa paga auxílio emergencial a nascidos em julho
Auxílio emergencial

Caixa paga auxílio emergencial a nascidos em julho

Com famosos no alto escalão, bancos apostam em novo público
Bancos

Com famosos no alto escalão, bancos apostam em novo público