Dias Toffoli avalia soluções do Porto Digital

Presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) e do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), ministro Dias Toffoli, conheceu empresas do parque tecnológico que podem desenvolver soluções para setor público

Dias Toffoli foi recebido pelo presidente do Porto Digital, Pierre Lucena Dias Toffoli foi recebido pelo presidente do Porto Digital, Pierre Lucena  - Foto: Ed Machado/Folha de Pernambuco

O presidente do Superior Tribunal Federal (STF) e do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), ministro Dias Toffoli, visitou o Porto Digital nesta quarta-feira para conhecer empresas com soluções inovadoras que possam contribuir para uma melhor atuação do poder judiciário brasileiro.

Durante a visita, o ministro assistiu a seis apresentações de empresas instaladas no parque tecnológico. Entre elas, mostraram os seus produtos e formas de contribuição, o CESAR, Neurotech, Tempest, Kurrier, In Loco e Avantia.

Leia também:
Porto Digital e MPPE buscam novas startups
Em parceria com Porto Digital, Unicap abre curso de Sistemas para Internet


De acordo com Toffoli, conhecer a realidade é importante para o judiciário, por conta da contribuição que podem fazer com a velocidade dos processos no Brasil. “É importante, tem criatividade, inovação, e pode ser muito útil no aperfeiçoamento do sistema de justiça. Cada vez mais hoje no mundo o sistema da informação, tecnologia da informação, inteligência artificial, vai ser fundamental também para o judiciário, com um serviço mais rápido e eficiente”, disse.

O ministro do STF conta ainda que essas empresas incubadas no Porto Digital podem contribuir com o futuro dos tribunais, otimizando o tempo das pessoas. “Temos que pensar já nos tribunais virtuais, a pessoa não sair de casa para ir ao Fórum, a uma audiência, são questões que temos que evoluir para isso, evoluir para um serviço que esteja cada vez mais a serviço das pessoas”, afirmou Toffoli.

De acordo com o presidente do Porto Digital, Pierre Lucena, o parque tem muito com o que contribuir aos órgãos públicos do Brasil, e as empresas tem capacidade de solucionar as demandas. “A gente tem muita coisa pra mostrar, não é preciso buscar soluções em São Paulo e fora do País, aqui temos soluções mais baratas, muito eficazes. A tecnologia tem que tornar eficiente o setor privado e setor público, ela tem que fazer parte do público a partir de agora”, destacou.

Pierre conta ainda que a Kurier, uma das empresas que apresentaram soluções, tem a capacidade de condensar informações sobre aproveitamento de cada comarca. “A Kurier apresentou que tem condições de avaliação, pegar todos os processos no Brasil e ver inclusive o percentual de votação. Temos muita solução para melhorar o processo, porque muitos são parecidos. A gente pode reduzir os processos, para aumentar a produtividade”, finalizou Lucena.

Veja também

Secretários de Fazenda apelam ao Congresso pela prorrogação do auxílio emergencial
Benefício

Secretários de Fazenda apelam ao Congresso pela prorrogação do auxílio emergencial

Lojas e restaurantes de São Paulo dizem que novas restrições levarão a mais demissão
Restrições

Lojas e restaurantes de São Paulo dizem que novas restrições levarão a mais demissão