concentração

Dificuldade de concentração no trabalho? Novo estudo mostra que apenas 5 minutos de pausa resolve

Intervalo para descansar a mente é importante principalmente para quem está aprendendo uma nova habilidade ou se concentrando em uma tarefa complexa

TrabalhoTrabalho - Foto: Marcelo Camargo / Agência Brasil

Uma pausa para tomar um cafezinho no meio do expediente, uma breve caminhada pelo escritório ou até mesmo passar cinco minutos sem fazer nada. Parar o seu trabalho durante um breve período ajuda a recuperar sua concentração. É o que aponta um novo estudo feito por pesquisadores da Universidade de Sydney, publicado na revista científica Educational and Developmental Psychologist.

O trabalho experimental foi feito com 72 estudantes universitários australianos. Na primeira etapa, assistiram a uma aula de revisão acelerada sobre como fazer cálculos mentais, por cerca de 20 minutos. O objetivo era esgotar os recursos de atenção dos alunos.

Os estudantes foram divididos em três grupos. Os alunos do primeiro, considerado grupo controle (sem descanso), continuaram estudando uma pequena lição sobre como multiplicar mentalmente dois números de dois dígitos (por exemplo, 34 x 67).

O segundo grupo de alunos fez um intervalo de descanso não estruturado de cinco minutos, com uma simples contagem regressiva na tela do computador mostrando quanto tempo restava do intervalo. O terceiro grupo assistiu a um vídeo em perspectiva em primeira pessoa de uma caminhada em uma floresta tropical australiana por cinco minutos. O estudo chamou isso de "descanso baseado na natureza", embora fosse simplesmente assistir a um vídeo.

Todos os alunos então completaram uma breve pesquisa de "atenção direcionada" sobre até que ponto eles experimentaram pensamentos distrativos durante a aula de matemática mental, respondendo a perguntas como "Minha atenção foi direcionada para outras coisas além da aula" e "Achei difícil manter minha concentração por mais de um curto período de tempo." Por fim, os alunos completaram um teste de resolução de problemas de 20 perguntas para ver o quão bem eles poderiam aplicar a estratégia de cálculos mentais.

Comparando os resultados entre os três grupos, os alunos do grupo de descanso não estruturado relataram níveis médios mais altos de atenção direcionada do que aqueles do grupo de controle sem descanso. No teste de resolução de problemas, tanto o grupo de descanso não estruturado quanto o grupo de descanso baseado na natureza superaram o grupo de controle.

Enquanto o grupo de descanso baseado na natureza resolveu mais problemas em média do que o grupo de descanso não estruturado — 60% de acertos contra 53%, respectivamente —, a diferença entre os dois grupos de descanso não foi estatisticamente significativa.

"Muitas habilidades — incluindo habilidades cognitivas como matemática — exigem muita concentração para serem dominadas, mas nossos recursos cognitivos se esgotam quando usamos nossas mentes para resolver problemas ou estudar", disse o professor Paul Ginns, supervisor acadêmico e coautor de estudo, em comunicado. "Pode parecer contraintuitivo dar um intervalo como forma de ajudar no aprendizado, mas pausas curtas de descanso — sejam elas não estruturadas ou assistindo a vídeos 'virtuais' da natureza — parecem valer a pena, ajudando os alunos a se concentrar melhor e aprender de forma mais eficaz. Isso também pode ser aplicado para trabalhadores que estão aprendendo uma nova habilidade ou se concentrando em uma tarefa complexa."

Veja também

Embratur e Google firmam parceria para digitalizar turismo
ACELERAÇÃO

Embratur e Google firmam parceria para digitalizar turismo

Mega-sena não tem ganhadores e prêmio vai a R$ 47 milhões
CONCURSO 2.736

Mega-sena não tem ganhadores e prêmio vai a R$ 47 milhões

Newsletter