Dinheiro vivo já não é usado por 4% da população, diz BC

O levantamento que diz que dinheiro vivo já não é usado por 4% da população foi realizado a partir de entrevistas com mil pessoas e mostra também ainda que o uso do cartão de débito superou o do cartão de crédito

Cédulas de R$50Cédulas de R$50 - Foto: Agência Brasil

Cerca de 4% da população já não usa mais dinheiro vivo na hora de fazer compras ou pagar contas, mostra uma pesquisa feita em abril e divulgada nesta quinta-feira (19) pelo Banco Central. O mesmo levantamento, realizado a partir de entrevistas com mil pessoas, mostra ainda que o uso do cartão de débito superou o do cartão de crédito.

Leia também
Dobram reclamações de compras no cartão de débito, aponta BC
Casas de câmbio já aceitam cartão de crédito para compra de moeda
Multas de trânsito poderão ser pagas parceladas no cartão de crédito


A última pesquisa similar feita pelo BC, em 2013, mostrava que 100% dos entrevistados diziam usar dinheiro nas suas transações. Na época, 35% dos entrevistados afirmaram usar também o cartão de débito como forma de pagamento. Esse percentual saltou para 52% na pesquisa feita em abril, de acordo com a autoridade monetária. No caso do cartão de crédito, o número de entrevistados que citavam uso era de 39% em 2013, percentual que subiu para 46% na pesquisa atual.

Frequência
Quando a pergunta da pesquisa foi de qual o meio de pagamento mais utilizado, o dinheiro é citado por 60% dos respondentes. O cartão de débito aparece em segundo lugar, com 22%, e em terceiro lugar o cartão de crédito, com 15%. "Quanto menor o valor, mais frequente o pagamento em dinheiro. Geralmente, despesas do dia a dia são pequenas", afirmou Fábio Bollmann, chefe-adjunto do Departamento do Meio Circulante do BC.

Atualmente, 48% da população recebe o salário ou pagamento através de depósito em conta corrente, poupança ou salário. Entretanto, 29% das pessoas afirmaram ainda receber seus pagamentos em dinheiro. Somente 0,4% tem seu pagamento feito através de cheque, segundo a pesquisa.

Outros 22% não têm renda, e o restante não respondeu a pesquisa.

Veja também

Litro da gasolina sobe R$ 0,15 nas refinarias da Petrobras
Combustível

Litro da gasolina sobe R$ 0,15 nas refinarias da Petrobras

Retomada perde ritmo e atividade econômica cresce 0,59% em novembro, diz BC
Economia

Retomada perde ritmo e atividade econômica cresce 0,59% em novembro, diz BC