Doria condena divulgação de lista e diz que BNDES faz 'uso político' de informações

O governador afirmou que comprou uma aeronave em um 'procedimento normal', que, segundo ele, também é comum em outros países

O governador João DoriaO governador João Doria - Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

O governador de São Paulo João Doria (PSDB) disse, em coletiva nesta quarta-feira (21), que considera a divulgação da lista de financiamentos de jatos pelo BNDES como uso político da instituição. "Não cabe a um banco revelar a quem disponibiliza seus financiamentos. O uso político do BNDES é tão condenável hoje como foi no passado no governo do PT", disse.

O governador afirmou que comprou uma aeronave em um "procedimento normal, regular", que, segundo ele, também é comum em outros países. "Entendo que não foi uma boa medida, correta, do ponto de vista do BNDES, a utilização política e ainda classificando como caixa preta. Não há caixa preta alguma nisso, é um fato normal dentro de um banco de financiamento", afirmou.

Ele classificou ainda a medida como apelativa. "Destacar Luciano Huck​ e João Doria dentro desse contexto foi um processo mais apelativo que eu como cidadão, como brasileiro e como governador, condeno".

Leia também:
BNDES divulga quem comprou avião com juro subsidiado
'Se ele comprou jatinho, ele faz parte do caos', diz Bolsonaro sobre Luciano Huck
Empresários que compraram jatos a juros subsidiados dizem não ver infração


O BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) divulgou na noite de segunda-feira (19) lista com 134 contratos de financiamentos de jatos executivos da Embraer a juros subsidiados, no valor total de R$ 1,921 bilhão.

Segundo o banco, o custo com o subsídio às aeronaves chega a R$ 693 milhões, em valores corrigidos.

A possibilidade de divulgação da lista foi anunciada na quinta-feira (15) pelo presidente Jair Bolsonaro, como uma das medidas para "abrir a caixa preta" do banco estatal, uma de suas promessas de campanha.

Os contratos foram assinados entre 2009 e 2014. O governador João Doria assinou contrato de empréstimo de R$ 44 milhões por meio da Doria Administração de Bens.

Em sua conta no Twitter, o governador disse na manhã de terça-feira que "oportunistas" tentam associar o financiamento "totalmente dentro das regras que o banco estabelece", como se fosse algo errado.

O governador criticou a divulgação da lista e recomendou que o BNDES "focasse nos bilhões emprestados pelo BNDES" para obras de desenvolvimento em países 'companheiros' durante a gestão do PT no Governo Federal e que nunca foram pagas."

Veja também

Trabalhadores nascidos em junho podem sacar auxílio emergencial
auxílio emergencial

Trabalhadores nascidos em junho podem sacar auxílio emergencial

Crise econômica só passa se crise sanitária for resolvida, diz chefe da Stellantis na América Latina
ENTREVISTA

Crise econômica só passa se crise sanitária for resolvida, diz chefe da Stellantis na América Latina