Economia

E-commerce ganhou 13 milhões de novos clientes em 2020, diz Nielsen

A pandemia do coronavírus impulsionou esse setor

E-commerceE-commerce - Foto: Reprodução/Internet

O isolamento social provocado pela pandemia do novo coronavírus impulsionou as compras online no Brasil e atraiu 13 milhões de novos consumidores em 2020, aumento de 29% em relação a 2019. Segundo levantamento da consultoria Ebit|Nielsen, a região Norte foi a que mais ganhou novos consumidores, com crescimento de 4% em relação a 2019.

De acordo com a pesquisa, enquanto o comércio digital despontava no ano passado, com redes de varejo intensificando operações online ou se adaptando à nova realidade virtual, 20% das lojas físícas do país fecharam as portas, principalmente, nas regiões Norte e Nordeste.

A pesquisa também questionou os novos clientes digitais sobre sua experiência –83% dos que compraram pela primeira vez por meio da internet no ano passado disseram que voltariam a realizar compras desta forma, 69,5% afirmaram que promoveriam a marca com a qual fizeram a transação, enquanto 15,2% se disseram insatisfeitos.

 



As principais reclamações foram problemas no prazo de entrega, seguidas por má qualidade do atendimento e dos produtos recebidos.


O valor do frete, segundo o levantamento, é um fator decisivo para o cliente concluir uma compra. Para 15,7% dos clientes que pagaram acima de R$ 199,99 pelo envio dos produtos, a experiência de compra não foi satisfatória. Entre os clientes que obtiveram frete grátis, apenas 5,9% apresentaram queixas.

De acordo com Keine Monteiro, responsável pela área de Inteligência da Ebit|Nielsen, o consumidor brasileiro dá grande importância ao preço do frete. Segundo ele, quanto mais caro for o preço de entrega do produto, maiores serão chances de reclamações do cliente.

 

Veja também

Subida dos juros deve provocar desaceleração na economia, diz ministroECONOMIA

Subida dos juros deve provocar desaceleração na economia, diz ministro

Carro parado é prejuízoFmotors

Carro parado é prejuízo