Economia de Hong Kong tem contração de 8,9% no 1º trimestre

'É o retrocesso mais importante medido desde o período inicial de referência, o primeiro trimestre de 1974', anunciou o governo de Hong Kong

Equipes médicas com trajes especiais em Hong KongEquipes médicas com trajes especiais em Hong Kong - Foto: Anthony WALLACE / AFP

A economia de Hong Kong registrou contração de 8,9% em ritmo anual no primeiro trimestre de 2020, consequência do impacto da epidemia de coronavírus em setores já afetados pela crise política da ex-colônia britânica e as tensões entre Estados Unidos e China.

"É o retrocesso mais importante medido desde o período inicial de referência, o primeiro trimestre de 1974", anunciou o governo de Hong Kong em um comunicado. A economia de Hong Kong já havia registrado em 2019 a primeira contração em uma década (-1,2%), como consequência da guerra comercial entre Pequim e Washington e meses de protesto do movimento pró-democracia.

Leia também:
China fará todo o possível para que eu não seja reeleito, diz Trump
Graças ao confinamento, casal de pandas acasala em Hong Kong


Mas o impacto das dificuldades não tem comparação com o abalo da COVID-19, responsável pelo retrocesso de 8,9% no primeiro trimestre.

O desempenho é ainda pior que o do primeiro trimestre de 1998 (-8,3%), durante a crise financeira asiática, ou do primeiro trimestre de 2009 (-7,8%), provocado pela crise financeira mundial.

Este é o terceiro trimestre seguido de contração para a economia de Hong Kong, a pior série desde 2009.

Veja também

Brasil perde chance de combater sonegação via paraísos fiscais, diz secretária da OCDE
SONEGAÇÃO

Brasil perde chance de combater sonegação via paraísos fiscais, diz secretária da OCDE

Consumidor pode pagar mais R$ 3,6 bi na conta de energia para evitar apagão
CONTA DE LUZ

Consumidor pode pagar mais R$ 3,6 bi na conta de energia para evitar apagão