Relógio com acesso à internet que era usado pela suspeita
Relógio com acesso à internet que era usado pela suspeitaFoto: Divulgação/Polícia Federal

Uma administradora de 27 anos foi presa em flagrante na noite do último domingo (22) em uma escola em Boa Viagem, na Zona Sul do Recife, quando tentava fraudar o concurso público do Conselho Regional de Farmácia do Estado de Pernambuco (CRF-PE). Ela informou em interrogatório aos policiais federais que receberia R$ 35 mil de outro candidato, que seria o beneficiado pela fraude. O valor seria pago apenas em caso de aprovação.

A suspeita estava com um relógio de pulso com acesso à internet por baixo da manga da camisa e ia constantemente ao banheiro, o que despertou a desconfiança do fiscal de sala. Após a descoberta do relógio, a candidata foi eliminada do concurso e o 19º Batalhão da Polícia Militar (BPM) foi acionado.

A presa contou que outro candidato, que também fazia a prova, recebia os gabaritos repassados através do relógio. Ele foi procurado, mas já havia saído do local e não foi preso. A reportagem do FolhaPE entrou em contato com o CRF-PE e aguarda o posicionamento do conselho sobre o caso.

Leia também:
Quadrilha especializada em fraudes de concurso é investigada pela Polícia Civil
Três candidatos são flagrados fraudando concurso público em Pernambuco

Ela foi encaminhada para a Delegacia de Polícia Civil de Boa Viagem e em seguida levada para a sede da Polícia Federal (PF). Ela foi autuada pelo crime de fraudes em certames de interesse público, contido no artigo 311-A do Código Penal Brasileiro. Caso condenada, ela poderá pegar pena de um a quatro anos de reclusão. A administradora pagou a fiança e foi liberada para responder ao crime em liberdade.


comece o dia bem informado: