Muitas profissionais ainda subestimam suas capacidades no mercado de trabalho
Muitas profissionais ainda subestimam suas capacidades no mercado de trabalhoFoto: Pixabay

Se alguém perguntar quais são as suas qualidades profissionais mais relevantes, você sabe­ria responder com segurança? Não um texto pronto, com a intenção de agradar o entrevistador, mas algo que demonstre sinceridade e autoconfiança? Pois em tempos de empoderamento feminino, trabalhar a imagem de força e liderança da mulher é amenizar o fato de que muitas profissionais ainda subestimam suas capacidades no mercado de trabalho, segundo os especialistas.

A coach e jornalista Gabi Albuquerque pontua que quase 100% das mulheres atendidas na sua consultoria apresentam um grau de insegurança alto em relação à própria carreira. “Por exemplo, se eu pergunto sobre sua trajetória profissional, geralmente elas respondem: ‘ah, eu fiz tal coisa, mas não foi o suficiente’ ou ‘não fui tão boa nisso’. Elas sempre trazem o que não fizeram de bom ou algum ponto negativo. Enquanto os homens conseguem olhar melhor para o que eles fizeram sem medo de fazer disso um excesso”, conta. Na prática, são mulheres com vergonha de assumir suas conquistas por vários motivos. “Outro indicativo está no salário, ainda não equiparado aos homens, e a grande maioria não consegue negociar isso com a chefia, por falta de confiança. É que muitas ainda se sentem excluídas”, completa Albuquerque.

Leia também:
Pesquisa TGI foca na participação das mulheres na gestão de empresas familiares
Mulheres trocam experiências e buscam espaço em mercado de tecnologia


Ainda segundo a coach, há quem agregue alguma qualidade do universo masculino para mostrá-lo como um diferencial e, assim, ser ouvida pela equipe. “Também percebi que em cafés e restaurantes, as mesas são majoritariamente de homens. E, quando se reúnem, geralmente são amigas e não contatos para network”, completa a especialista, que foi percebendo uma associação com a síndrome feminina de querer agradar todo mundo e não agradar a si mesma.

Comportamento que anda junto aos desafios do público feminino. Segundo dados da Organização Mundial do Trabalho (OIT), embora haja algumas conquistas para comemorar, a taxa de desemprego en­­tre elas continua alta. Para ter uma ideia, a falta de trabalho acome­te a 5,2% entre os homens, enquanto nas mulheres fica em torno de 6%.

Fortalecer a autoconfiança nunca foi tão importante e, nesse quesito, trabalhar a imagem é se conhecer por inteiro. “Determine seus objetivos e busque se conhecer ao máximo, entender suas necessidades, suas preferências e seus valores. Falando especificamente em imagem, procure entender seu corpo, aprenda a gostar e elevar seus pontos positivos e utilize as maneiras corretas de minimizar o que te incomoda”, aconselha a consultora de imagem, Alissa Ferreira. Ela também sugere atenção à tríade: biotipo, cores e estilo para conseguir passar o melhor e, assim, gerar o interesse das pessoas em escutar o que se tem para falar.

Serviço
Workshop Imagem e Autoconfiança (exclusivo para mulheres)
Dia: 29/09
Horário: a partir das 8h30
Endereço: Trinus Office (rua Marechal Rondon, 146, Casa Forte)
Inscrições: www.sympla.com.br/imagemeautoconfianca

comece o dia bem informado: