Educação a Distância (EaD)
Educação a Distância (EaD)Foto: Lehi Henry / Arte FolhaPE

A falta de tempo livre e a dificuldade com transporte e deslocamento são fatores que levam muitas pessoas a desisti­rem de estudar. Mas uma modalida­de de ensino está ajudando a mu­dar essa realidade: a Educação a Distância (EaD). Segundo o Censo divulgado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), um em cada cinco estudantes matriculados no ensino superior estuda a distância. Ao passo em que o ensino presencial apresentou queda nas matrículas, a educação a distância (EaD) teve seu maior crescimento desde 2008. Por sua vez, cursos presenciais tiveram queda de inscritos (ver dados ao lado).




“A Educação a Distância é uma modalidade em que professor e estudante estão em locais distintos naquele espaço de tempo. Normalmente essa ligação é mediada pela tecnologia. Antigamente, quando se aprendia por correspondência, por exemplo, também era uma forma de educação a distância. Mas hoje em dia a gente costuma usar esse termo para essas metodologias que utilizam esses ambientes virtuais de aprendizagem mediando essa relação professor/aluno”, explica a gestora de EaD da Secretaria de Educação de Pernambuco, Renata Otero.



Segundo Renata Otero, gestora de EAD na Secretaria de Educação do Estado, a educação a distância utiliza ambientes virtuais de aprendizagem para mediar a relação professor/aluno

Segundo Renata Otero, gestora de EAD na Secretaria de Educação do Estado, a educação a distância utiliza ambientes virtuais de aprendizagem para mediar a relação professor/aluno" - Crédito: Alfeu Tavares / Folha de Pernambuco



O primeiro contato com o ensino a distância da advogada e concurseira Perlla Leite foi na faculdade. Através de amigos, ficou sabendo de um curso a distância para o exame da OAB. Decidiu, então, estudar através dele e obteve êxito. Perlla, que faz pós-graduação e estuda para concursos por EaD, avalia as vantagens. “Eu passava em média de três a quatro horas para ir ao meu local de estudo e retornar para casa. Se eu levar em consideração o tempo de aula, basicamente é o mesmo tempo que eu tenho de locomoção. Então, eu ganho esse tempo estudando. E aquele período em que eu deveria estar na instituição de ensino eu posso utilizar para outras atividades”, afirma.


"Ao estudar à distância eu acabo sendo a senhora do meu tempo", avalia Perlla Leite, advogada e concurseira. - Crédito: Alfeu Tavares / Folha de Pernambuco



“Além disso, também tem a questão do custo, porque se você vai estudar em outro local, no mínimo - se você não for a pé ou de bike - você vai gastar com passagem que, convenhamos, está cada vez mais alta, ou com a gasolina que está aumentando”, lembra. “Ao estudar à distância eu acabo sendo a senhora do meu tempo, porque eu não preciso estar em determinado local sempre naquele mesmo dia da semana e naquele horário. Eu posso muito bem estabelecer qual é o melhor horário para mim”, relata. “Desde que eu comecei a ter contato com essa forma de ensino não me vejo mais e não tenho intenção de fazer um curso presencial, só se realmente for a única modalidade”, diz Perlla.

arte folha

Crédito: Lehi Henry (ilustração) e Hugo Carvalho (info)


 

comece o dia bem informado: