arte
arteFoto: Divulgação

À primeira vista, olhar números agrupados e estatísticas diferentes pode ser assustador para quem não tem familiaridade com a área. Porém, o mundo estatístico pode ser bem mais simples do que você pensa, e ainda mais: ser um grande aliado no mundo profissional em qualquer área.

Com uma maior quantidade de informações reunidas, fica mais fácil, inclusive, ter uma leitura do consumidor e qual a melhor estratégia para o seu negócio ou para a sua carreira. “Em todos os lugares que têm um certo volume de dados, é necessário tirar conhecimentos dali. A forma como você vai lidar com aquilo é feita a partir da estatística, da medida única”, afirma a consultora e professora em Analytics e presidente do Conselho Regional de Estatísticas, Adriana Silva.

Graduada em Estatística pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (Unesp)

Adriana Silva aplicou a teoria dos livros à prática profissional (Unesp) - Crédito: Divulgação

Graduada em Estatística pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (Unesp), Adriana encontrou no ensino um método de aproximar as pessoas da área, ajudando elas a aplicar no cotidiano. “Eu tentava aplicar tudo aquilo que aprendi.,p/>

Trabalhei desde seguradoras até varejistas, e foi nesse momento que eu percebi que se não falasse num linguajar que as pessoas entendessem, não adiantava”, explica a consultora. “Quando a gente pega um conjunto de dados e analisa eles, tomamos uma decisão muito melhor do que apenas supor ou partir para o senso comum”, completa a especialista, que é responsável pelo ASN.Rocks, curso de estatística.,p/> 

Para quem quer entrar neste mundo, além dos cursos convencionais como a própria Graduação em Estatística, existem ferramentas e dicas on-line que aproximam do entendimento básico da análise de dados. Uma das principais é o “R”. Assim como o nome simples, o software é um ambiente computacional com uma linguagem de programação que vem se especializando em manipulação, análise e visualização gráfica de dados.

Mais evoluído, o Python é outra forma de criar algoritmos. Porém, sites como o Coursera e o Data Science Analytics reúnem cursos on-line em vídeos, que apresentam o básico com tutoriais. Partindo para o mundo das publicações, livros como “Estatística: O que é, para que serve e como funciona”, de Charles Wheelan, e “Data Science Para Negócios”, de Tom Fawcett e Foster Provost, são ótimas indicações para novos aventureiros.

Outro ponto que pode ser aproveitado é o Google Analytics. A ferramenta atua como um “termômetro” do que acontece no Buscador do Google, e pode ser um grande amigo na hora de pensar uma estratégia para o mercado.

De olho nas empresas

A metodologia aplicada e a aproximação com o mundo da estatística, do big data e do “machine learning” foram essenciais para que Bruno Leme ajudasse a empresa em que trabalha a identificar padrões dos consumidores. Funcionário de uma empresa de cobranças, ele ajudou a aplicar algoritmos para ver a probabilidade de um cliente deixar de utilizar aquele serviço, ou até constatar a probabilidade de pagamento de endividados.

“A área tem um grande potencial que pode ser explorado para as empresas. Se você parar para pensar, as companhias mais valiosas atualmente são as que lidam com dados”, disse. Mesmo tendo formação em Ciências da Computação, Bruno buscou formação básica em Analytics, uma importante ponte até para quem não é da área. “Não é necessário ter o profundo conhecimento especializado, mas é bom ter noção de como as coisas funcionam porque mesmo aquelas pessoas que conhecem muito sobre aquilo precisam de certa forma vender”, completou.

comece o dia bem informado: