Google é um dos parceiros do Projeto Ela Pode
Google é um dos parceiros do Projeto Ela PodeFoto: Patricia de Melo Moreira/ AFPA

A Secretaria da Mulher de Pernambuco e o Instituto Rede de Mulher Empreendedora iniciam, nesta quarta-feira (28), o Seminário de Formação do Projeto Mulher de Negócios – Ela Pode. Trata-se de uma parceira, através do Google, para capacitar 135 mil mulheres no Brasil e multiplicar o número de empreendedoras nas 12 Regiões de desenvolvimento de Pernambuco.

Nesta quarta-feira, Pernambuco estará sediando um dos seminários de formação de multiplicadoras que acontece, nos próximos três dias, no Bristol Recife Hotel & Suites Convention, localizado na Rua Maria Carolina, 661 Boa Viagem –Recife. Cerca de 70 mulheres vão participar da formação para conhecer e apreender as metodologias do Projeto Ela Pode.

O Ela Pode é o maior programa de capacitação de mulheres do país, com o intuito de treinar e capacitar mulheres que se interessam em ajudar outras a conquistarem sua renda própria e liberdade financeira, se tornando assim multiplicadoras. O projeto oferece capacitações presenciais para mulheres em situação de vulnerabilidade socioeconômica, para gerir seus negócios ou conseguir uma forma de renda.

O projeto vai trabalhar com temas de empreendedorismo, e softskills (motivação, autoestima, autoconfiança, assertividade, foco e tomada de decisão) utilizando a metodologia do Programa Ela pode realizado pelo Instituto Rede Mulher Empreendedora, com o apoio da empresa Google.

A secretária da Mulher do Estado, Silvia Cordeiro, fará a abertura do evento e dará informações sobre o programa. Ela esclarece que as mulheres representam cerca de metade da população mundial e sua participação econômica pela via do empreendedorismo tende a produzir efeito multiplicador no crescimento econômico da sociedade. “A inclusão produtiva das mulheres mediante o empreendedorismo favorece a melhoria dos aspectos sociais, educacionais e indicadores de saúde tanto das empreendedoras quanto de suas famílias”, esclarece. Segundo estudo da Mckinsey Global Institute, a promoção da igualdade de condições de trabalho promoveria um incremento de cerca de 30% do produto interno bruto (PIB) brasileiro.

Portanto, existe uma correlação positiva entre maior produtividade econômica da mulher, principalmente de empresárias, e o crescimento econômico de um país (Weeks & Seiler, 2001). Além disso, o empreendedorismo representa forma relevante de empoderamento da mulher, contribuindo para a sua autonomia econômica, social, cultural e política.

comece o dia bem informado: