CNC projeta crescimento de 5,8% para o setor em 2019
CNC projeta crescimento de 5,8% para o setor em 2019Foto: Arquivo / Agência Brasil

Setor que mais contratou em Pernambuco, o comércio ganhou fôlego em 2018 depois de sucessivos anos de queda e tem pela frente um 2019 de otimismo. O Índice de Confiança do Empresário do Comércio de janeiro, aferido pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), apresentou a maior alta para o mês desde 2014, com um avanço de 9,8% em relação ao início do ano passado. Segundo especialistas, o cenário positivo deve se reverter em alta nas contratações e expansão de lojas. A previsão da CNC é que até o fim do ano sejam abertos mais 23 mil estabelecimentos comerciais no País.

Na análise dos economistas, o ano passado marcou o fortalecimento da recuperação do comércio. “O setor passou por um período bastante complicado, como todas as atividades comercias, até 2016. A retomada do comércio teve início em 2017, quando as vendas cresceram 4%, depois de acumular perdas de 20% em 2014, 2015 e 2016”, detalhou o economista-chefe da CNC, Paulo Bentes.

Leia também
Carnaval vai movimentar comércio do Recife
Brasil e União Europeia juntos pelo comércio justo

Mais indicadores apontam para o mesmo cenário: dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) mostram que o varejo criou 529.554 empregos com carteira assinada em 2018, melhor resultado desde 2013 e primeiro saldo positivo após três anos. “Do ponto de vista do emprego, muito provavelmente o comércio vai ter um ano melhor em 2019. O segmento do varejo deve gerar mais 100 mil postos de trabalho”, revelou Bentes.

O setor liderou a criação de empregos formais em Pernambuco, com o saldo de 3.180 postos, puxando o resultado estadual para cima. De acordo com o economista da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Pernambuco (Fecomércio-PE), Rafael Ramos, a geração de emprego é como um indicador que revela sobre a confiança do comércio. “Contratação é investimento. O comércio com contratações altas e puxando o resultado para cima significa que os empresários estão bem confiantes para 2019 e para os próximos anos”, analisou.

O saldo de número de lojas em 2018 é outro número que revela a melhora no desempenho do setor. “De 2015 a 2017, o varejo contabilizou o fechamento de 223 mil lojas. Em 2018, foram abertas 8,1 mil unidades. Temos a expectativa de que em 2019 sejam abertas cerca de 23 mil novas lojas no Brasil”, detalhou Bentes. Depois de três anos de saldo negativo, Pernambuco registrou a abertura líquida de 259 estabelecimentos em 2018.

Com essa conjuntura, a CNC projeta um crescimento de 5,8% para o setor em 2019. Para os economistas, uma série de fatores contribui para esse otimismo. “A inflação está baixa, o governo que assumiu não tem perfil intervencionista nos preços, então eles tendem a oscilar menos. Isso ajuda o comércio e consumo a ter desempenho melhor. Diante daquilo que o Governo tem decidido, a gente acredita que o mercado de trabalho vai melhorar, beneficiando todo o comércio”, avaliou Bentes.

SETOR

O presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas do Recife, Cid Lôbo, afirma que, na capital pernambucana, a perspectiva dos empresários está a par do que revela os índices. “É um otimismo moderado. Vamos aguardar para ver se o novo Governo vai adotar as medidas que prometeu. Se a reforma da Previdência for aprovada, a partir dai dá uma nova expectativa para que haja mais investimento e mais empregos. A gente precisa ver para crer”, contou Lôbo.

A varejista pernambucana RM Express também enxerga o futuro com confiança. “Não só a do ponto de vista empresarial, a gente percebe essa euforia no consumidor. A gente acredita que vai ser um ano promissor se comparando com 2018. A empresa tem um cenário desenhado para 2019 de investimento na região”, disse o gerente de operações da marca, Eliezer Domingos.

Já a Assaí Atacadista espera manter o ritmo de crescimento em 2019, com inauguração de 20 novas lojas no País. Em Serra Talhada, no Sertão de Pernambuco, uma unidade já está sendo construída. “Nos últimos anos, com o aumento significativo de fluxo nas lojas, o Assaí reforçou seu quadro para atender melhor seus clientes, e a expansão também tem gerado um volume considerável de novas vagas de emprego”, comentou o gerente regional do Assaí, Claudemir Carmo. “Em 2018, inauguramos 18 lojas, geramos aproximadamente 5 mil vagas de empregos e crescemos 24,2% na comparação com 2017.”

veja também

comentários

comece o dia bem informado: