Oito secretarias do Governo do Estado foram escolhidas para receber Setoriais de Controle Interno (SCIs). Essas novas unidades vão funcionar dentro da estrutura das pastas de Educação, Saúde, Defesa Social, Turismo, Esporte e Lazer, Agricultura e Reforma Agrária, Cidades, Justiça e Direitos Humanos e Desenvolvimento Social, Criança e Juventude. Elas devem ajudar a fortalecer os controles internos de gastos.

Apesar disso, o Estado garante que a implantação das Setoriais de Controle Interno não implica em uma nova meta de contingenciamento. O secretário da Controladoria-Geral do Estado, Ruy Bezerra, classifica a iniciativa como um movimento visando uma melhor “gestão de risco, análise das contas, planejamento de auditorias interna. Em resumo, por um controle mais qualitativo do que quantitativo dos gastos”.

Ruy Bezerra explica que o trabalho a ser implantado nas oito secretarias - escolhidas por representatividade econômica e social -, por enquanto, se trata de um projeto-piloto. Até o fim do ano será avaliada a possibilidade de expansão. A ação é coordenada pela Secretaria da Controladoria-Geral do Estado, que destacou 15 dos seus técnicos para atuarem nas setoriais. “Aproveitamos a nossa força de trabalho contribuindo para uma gestão mais profissional”, defende o secretário.

Este ano, o Governo de Pernambuco modificou o seu Plano de Monitoramento dos Gastos. No biênio de 2015 e 2016 havia uma meta de contingenciamento, a qual foi responsável por uma economia de mais de R$ 1 bilhão durante o período, de acordo com os dados da Controladoria-Geral.

Em 2017, o Governo do Estado passou a trabalhar com um teto financeiro para cada secretaria. A Controladoria-Geral monitora esse limite, mas o secretário Ruy Bezerra não detalhou se as pastas que vão receber as Setoriais de Controle Interno estariam ultrapassando essa marca.

veja também

comentários

comece o dia bem informado: