Caminhão-tanque abastece posto de combustível em Brasília
Caminhão-tanque abastece posto de combustível em BrasíliaFoto: Marcello Casal Jr / Agência Brasil

A Petrobras reduziu, pela quinta vez consecutiva, o preço da gasolina nas refinarias. A partir da terça-feira (29), o combustível terá redução de 2,8% no preço e passará a custar R$ 1,9526 por litro.

Desde 16 de maio, a gasolina não custava menos do que R$ 2. Apesar disso, no mês de maio a gasolina acumula uma alta de 8,6%, já que, em 28 de abril, o litro do combustível tinha o custo de R$ 1,7977.

Em entrevista coletiva concedida na manhã desta segunda-feira (28), o ministro da Fazenda, Eduardo Guardia, disse que desde o domingo da semana anterior (20) o governo trabalha "full time" (em tempo integral) em busca de um acordo. A expectativa é de que a normalidade seja retomada. Guardia disse que em breve a redução de preços chegará à bomba.

Leia também:
Mercado reduz projeção de crescimento da economia
Concessões do governo a caminhoneiros vão custar R$ 10 bi ao contribuinte


Segundo ele, assim que a reoneração for aprovada, mais medidas serão definidas. Ele não adiantou essas ações. O ministro lembrou que antes do anúncio de ontem, da redução de R$ 0,46 no preço do litro do diesel, o governo havia definido a redução de R$ 0,23. No diesel, há R$ 0, 46 de tributos federais: na Cide, R$ 0,05 por litro e mo PIS/Cofins, de R$ 0,45.

Guardia disse que haverá subvenção federal dos tributos. Segundo ele, o máximo a que será possível chegar é R$ 0,16, que serão compensados com a reoneração da folha de pagamentos, que ainda precisa ser aprovada pelo Congresso Nacional. O restante, R$ 0,30, virá do Orçamento da União. O ministro ainda afirmou que o custo da redução do preço do diesel em R$ 0,46 por litro deve ficar em R$ 9,5 bilhões este ano.

veja também

comentários

comece o dia bem informado: