Posto de gasolina
Posto de gasolinaFoto: Arthur Mota/Folha de Pernambuco

O ministro da Fazenda, Eduardo Guardia, afirmou em entrevista coletiva nesta segunda-feira (28), que o reajuste de preços de combustíveis será feito inicialmente daqui a 60 dias e depois, mensalmente. Ele negou risco de prejuízos para a Petrobras,que terá liberdade total para fixar a política de preços.

"Primeiro, 60 dias, depois, mensalmente. Não há nenhum prejuízo para a Petrobras", disse o ministro. "Não há congelamento de preços." Segundo ele, os preços serão alterados para cima ou para baixo, dependendo das reações do mercado internacional.

Leia também:
Petrobras reduz preço da gasolina em 2,8% nas refinarias
Concessões do governo a caminhoneiros vão custar R$ 10 bi ao contribuinte


A entrevista do ministro é concedida um dia depois de o presidente Michel Temer anunciar o acordo com os caminhoneiros para encerrar a paralisação nas rodovias federais. O governo negociou a redução de R$ 0,46 no litro do óleo diesel e a suspensão da cobrança de pedágio para caminhões vazios, entre outras medidas.

veja também

comentários

comece o dia bem informado: