Receita aplicada em inovação caiu de 10,17% para 2,12% de 2011 a 2014
Receita aplicada em inovação caiu de 10,17% para 2,12% de 2011 a 2014Foto: Divulgação

 

SÃO PAULO (FOLHAPRESS) - A indústria brasileira registrou o menor volume de investimentos em inovação em relação às vendas desde que o indicador começou a ser mapeado, em 2000. Só 2,12% das receitas líquidas das indústrias foram dedicados à inovação em 2014, o último ano de referência para a Pintec, pesquisa sobre inovação tecnológica divulgada ontem pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O número, calculado descontando os impostos sobre as vendas, indica uma queda de 10,17% em relação a 2011, quando o percentual era de 2,36%. Outra queda, ainda mais acentuada (55%), ocorreu no segmento de eletricidade e gás. Aqui, a relação entre receita e investimentos caiu de 1,28% em 2011 para 0,57% em 2014.
Alessandro Pinheiro, gerente do IBGE responsável pela pesquisa, diz que os resultados apontam para um menor esforço de inovação na indústria nacional. “Esse é um indicador muito sensível à conjuntura econômica, que já apontava dificuldades desde a crise de 2008. Sua queda mostra uma deterioração de qualidade na inovação”, concluiu.
Apesar disso, a pesquisa mostrou leve recuperação no percentual das companhias que estão buscando criar novos produtos e processos. Entre 2012 e 2014, 36% das empresas brasileiras com dez ou mais funcionários realizaram algum projeto de inovação, enquanto entre 2009 e 2011 foram 35,7%. A taxa, porém, segue abaixo da verificada entre 2006 e 2008, de 38,61%.

Teles

Já o volume de investimento em pesquisa e desenvolvimento em relação ao PIB registrou leve alta em 2014, em comparação com 2011. A taxa subiu de 0,58% para 0,61%, segundo nota técnica preliminar do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) sobre os resultados da Pintec. O aumento foi puxado pelo crescimento nos investimentos do setor de telecomunicações, que saltaram de R$ 1,1 bilhão em 2011 para R$ 4,2 bilhões em 2014.

Outro fator que ampliou o investimento em pesquisa e desenvolvimento foi o incentivo do setor público. Em 2014, 40% das empresas que realizaram inovação contaram com apoio público para o processo, enquanto em 2011 haviam sido 34,2%. Pinheiro, do IBGE, diz ser possível que esse apoio seja responsável por manter os níveis de investimento estáveis em 2014.

 

veja também

comentários

comece o dia bem informado: