Ministério da Defesa tem 7 mil caminhões para o Nordeste
Ministério da Defesa tem 7 mil caminhões para o NordesteFoto: Divulgação

O abastecimento nas áreas rurais de Pernambuco pode ficar comprometido a partir do ano que vem. Em entrevista a uma rádio local, na segunda-feira (19), o governador Paulo Câmara admitiu que não terá mais condições de arcar com os custos de carros-pipa após o agravamento da crise econômica.

O Estado vem enfrentando uma das piores secas por quase seis anos consecutivos. A dura realidade vem sacrificando diversas atividades produtivas e colocando em risco a economia de municípios do Agreste e do Sertão pernambucano. Com barragens vazias, os carros-pipa deixaram de ser apoio para a população vítima da estiagem e viraram necessidade. Ao que tudo indica, em breve, o atendimento dependerá apenas do Exército brasileiro.

“Pernambuco é o estado que mantém o maior número de pipeiros contratados com recursos próprios, demandando, de 2015 até agora, mais de R$ 60 milhões.
Ao contrário do que ocorre em outros estados, parte do abastecimento na área rural daqui é mantida com recursos do governo estadual, apesar de a ação ser de competência do Exército, por meio de convênio com o Ministério da Integração Nacional”, informou a Secretaria de Agricultura do Estado por nota.

Nessa perspectiva, desde 2015, a pasta solicitou à União, por sugestão do Ministério da Integração Nacional, que o Exército Brasileiro ampliasse e mantivesse o atendimento da Operação Pipa, cobrindo toda zona rural de Pernambuco, como ocorre nos demais estados do Nordeste. A sinalização foi positiva do ministro da Defesa, Raul Jungmann, grifou a pasta.

O Exército tem sete mil caminhões-pipa contratados no Nordeste. Para se ter ideia, compara a Secretaria de Agricultura, no Ceará, o número de pipas contratados pelos militares subiu de 1.5 mil para 1.797 de 2015 para 2016, enquanto que, em Pernambuco, o Exército reduziu de 1.2 mil para 1.1 mil caminhões no mesmo período.

Além da operação deles, prefeituras e governos dos estados do Nordeste mantinham, em 2015, 800 caminhões-pipa. Deste total, cerca de 700 estavam aqui e foram contratados com recursos próprios. Procurado, o Exército comunicou que, hoje, conclui levantamento feito a pedido da reportagem.

Em contrapartida, a Integração Nacional avisou que a população rural de Pernambuco é atendida por meio da Operação Carro-Pipa Federal e repassa recursos ao governo estadual. Segundo informações divulgadas na Imprensa, o general Eduardo Villas Bôas se queixou de corte no orçamento para distribuição de água. Atualmente, 637.108 pessoas em 114 municípios em situação mais crítica são atendidas por 1.111 caminhões.

O pecuarista e dono da Bom Leite, Stênio Galvão, ficou preocupado com a notícia. “O Agreste vai virar o deserto, porque o povo vai migrar para os grandes centros urbanos.

A repercussão depois de tirar o homem do campo será muito maior”, analisou, destacando que, para manter os negócios, tem que buscar água em Garanhuns, a cerca de 60 quilômetros de São Bento do Una, onde fica sua produção.

veja também

comentários

comece o dia bem informado: