Administradora Claudia Barbosa
Administradora Claudia BarbosaFoto: Ed Machado/Folha de Pernambuco

Restando poucos dias para o fim do prazo de entrega da declaração de Imposto de Renda Pessoa Física, no próximo dia 30, menos da metade das pessoas esperadas enviaram a prestação de contas à Receita Federal. Na reta final da temporada de IR, especialistas alertam para os erros mas frequentes no preenchimento, que com a pressa podem levar o contri­­­­buinte a cair na temida malha fina.

"O contribuinte realmente deve se preocupar em não cair na malha fina, pois essa se refere ao processo de verificação de inconsistências da declaração do IRPF. Caso o sistema da Receita Federal perceba alguma informação errada, separa a declaração para análise mais apurada. E, caso perceba erros, chama o contribuinte para ajustes ou até mesmo inicia investigações e cobra atrasados e multas", explica o diretor executivo da Confirp Contabilidade, Richard Domingos.

Leia também:
Idosos devem ficar atentos ao Imposto de Renda
Imposto de Renda: bitcoin deve ser declarado
Especialistas dão dicas sobre antecipação do Imposto de Renda


E foi justamente por causa de um erro na hora de declarar um dependente que a administradora Cláudia Barbosa caiu na malha fina, tendo que restituir R$3 mil ao fisco no ano passado. “Minha filha de 21 anos era estudante, então eu sabia que poderia incluí-la como dependente. O problema foi que não declarei o valor da bolsa de estágio dela, que estava dentro da regra e eu não conhecia.

Imposto de Rendas - dicas


Especialistas afirmam que esse é um dos tipos mais comum de erro no preenchimento da declaração, pois diz respeito a informações desencontradas. Outro recorrente é não declarar informações de rendimentos recebidos, como aluguéis e previdência privada, por exemplo. “Muitas dessas ausências acontecem até mesmo por desconhecimento do contribuinte”, comenta o contador, auditor e tributarista da Contti, Jadir Rocha. Ele sugere que nessa reta final o contribuinte busque o máximo de informações e documentos para não deixar de entregar a declaração no prazo.

De acordo com o professor e diretor do Sindicato de Contabilidade de Pernambuco, Flávio Cesário, mesmo faltando documentos, é importante transmitir a declaração dentro do prazo. “A dica é o contribuinte entregar mesmo que incompleta, pois existe a possibilidade de após o prazo enviar uma declaração retificadora para corrigir aquelas informações que porventura deixaram de ser declaradas”, indica o especialista.

Atividade rural
Estão obrigados a apresentar a declarar o ajuste anual aqueles trabalhadores que receberam rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70 no ano passado. Em relação à atividade rural, deve prestar contas quem obteve receita bruta em valor superior a R$ 142.798,50. Também devem declarar aqueles que receberam rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte, cuja soma foi superior a R$ 40 mil, ou os cidadãos que tiveram, em 31 de dezembro, a posse ou a propriedade de bens ou direitos de valor total superior a R$ 300 mil. A Receita Federal alerta que os contribuintes que perderem o prazo estarão sujeitos ao pagamento de multa mínima de R$ 165,74 e máxima de 20% do imposto devido.

 

veja também

comentários

comece o dia bem informado: