Instalações do Porto Digital, no Bairro do Recife
Instalações do Porto Digital, no Bairro do RecifeFoto: Rafael Furtado/Folha de Pernambuco

Apesar de a legislação brasileira determinar a inclusão de pessoas com deficiência (PCD) nas empresas, ainda é pequena a participação dos deficientes visuais no mercado de trabalho. E a situação parece ser ainda mais grave no mundo do empreendedorismo. Por isso, o Porto Digital vai promover um curso de negócios e inovação voltado a esse público. É o Inovação Maker para Pessoas com Deficiência, que recebe inscrições até o próximo dia 4.

“A intenção é aumentar a empregabilidade dessas pessoas e também ajudar a pensar soluções que vão integrar mais essa população. Habilitar essas pessoas vai ajudá-las a colocar em prática ideias de soluções urbanas para os seus problemas”, explicou a superintendente de empreendedorismo do Porto Digital, Ana Roberta Souto, lembrando que, com a capacitação necessária, essas pessoas podem desenvolver seus próprios negócios e suas próprias soluções tecnológicas. “E normalmente é mais fácil pensar em problemas quando você vivencia eles”, acrescentou.

Leia também:
Porto Digital seleciona oito novas empresas para incubação
Linha de fomento destina R$ 1,5 bi a projetos para internet das coisas

Para isso, o treinamento do Porto Digital será dividido em três etapas: empreendedorismo, habilidades comunicacionais e construção de tecnologias assistivas. A ideia é que o treinamento mostre o que é preciso para ter um negócio, ajude os alunos a se comunicar melhor e, pôr fim, desenvolva as habilidades técnicas necessárias para o desenvolvimento das ideias geradas nos estágios anteriores. “Nas aulas de empreendedorismo eles vão identificar problemas e conceber ideias para resolver isso. Depois, vamos trabalhar com tecnologias assistivas para criar as soluções de inclusão”, completou Ana Roberta, contando que essa parte prática será realizada no Laboratório de Objetos Urbanos Conectados (L.O.U.Co) do Porto Digital, com conceitos da Internet das Coisas (IoT).

Ana Roberta revelou ainda que o curso, que será ministrado em parceria com a empresa pernambucana de acessibilidade t-acess, atende a um anseio das próprias pessoas com deficiência. “Muitas vezes, quando fazemos eventos no Porto Digital, percebemos que PCD participam. Já tivemos, inclusive, um deficiente auditivo no Mind the Bizz (programa de empreendedorismo)”, contou, frisando, porém, que desta vez o treinamento é apenas para deficientes visuais.

Os interessados têm até o próximo dia 4 para se inscrever no curso, através de um formulário virtual disponível no site do Porto Digital. Só serão oferecidas, no entanto, 20 vagas. Por isso, os inscritos serão selecionados de acordo com sua experiência profissional, escolaridade e, em último caso, ordem de inscrição. O treinamento começa em 17 de julho e vai até 13 de setembro. Ainda segundo Ana Roberta, será cobrada apenas uma taxa simbólica de participação.

veja também

comentários

comece o dia bem informado: