Porto de Suape
Porto de SuapeFoto: Folha de Pernambuco/Arquivo

Em busca de novos negócios, o Complexo Industrial e Portuário de Suape está se movimentando para destravar o projeto que pretende construir uma usina térmica a gás no Litoral Sul do Estado. E o porto já tem um novo aliado neste processo: a Golar Power - multinacional que atua na geração de energia a gás em Sergipe e agora quer erguer outro empreendimento deste tipo em Pernambuco. Por isso, Suape está arrendando uma área de 15 hectares para a implantação da usina, que, se for realmente tocada pela Golar, pode gerar 2,5 mil empregos e R$ 4,5 bilhões em investimentos só na fase de construção.

Leia também:
Térmica a gás natural pode sair do papel em Suape
Gasen e CHPK querem instalar usinas térmicas em Suape

Presidente de Suape, Carlos Vilar explicou que três empresas já demonstraram interesse no projeto da térmica, que pode ser leiloado pelo Ministério de Minas e Energia (MME) ainda neste ano. A Golar é uma delas, mas não teria condições de participar do leilão federal porque ainda não dispõe de nenhum terreno em Suape. “A Gasen e a CHPK, que são as outras interessadas, já têm áreas arrendadas em Suape para isso. Mas a Golar não. Por isso, vem negociando conosco e pediu a realização de um processo de licitação com urgência para poder se habilitar ao leilão previsto para dezembro”, contou Vilar, dizendo que este processo de arrendamento realmente acontece desta forma, por provocação do setor privado. “A empresa apresenta o pedido e a gente faz o chamamento. Mas o arrendamento fica aberto para todos os interessados. Outras empresas podem participar. Vai ganhar quem apresentar as melhores condições de preço. Afinal, o interesse maior de Suape é pelo negócio que vai surgir com a implantação da usina, gerando emprego, investimento e arrecadação para o Estado”, garantiu Vilar.

Por conta disso, o arrendamento, que foi publicado no Diário Oficial do Estado dessa quarta-feira (19) e recebe propostas até 22 de outubro, é bem específico: busca interessados na implantação de uma usina termelétrica com unidade regaseificadora de gás natural liquefeito. Segundo Suape, o processo deve ser concluído em novembro e estima em R$ 30 milhões o arrendamento do terreno por um período de 300 meses.

Térmica
Suape
já conta com uma usina térmica a gás, que, inclusive, está para ser ampliada. Mas já há alguns anos é discutida construção de um novo empreendimento deste tipo no complexo industrial do porto pernambucano. E essa possibilidade ganhou força neste mês, quando o Ministério de Minas e Energia anunciou a intenção de realizar leilões regionais, começando pelo Nordeste, para incentivar a geração de energia térmica a gás natural, que é mais barata e menos poluente que a térmica a óleo combustível, no País. “Suape tem vantagem nesse processo porque permite que o navio atraque a apenas 400 metros da área da usina. Já em Sergipe, o navio que traz o gás natural fica no alto mar, a um quilômetro de distância”, argumentou Vilar, dizendo que isso reduz o gasto necessário para a construção dos dutos que vão levar o gás dos navios para a térmica.

veja também

comentários

comece o dia bem informado: