Renato Cunha cobra mais esforços pela competitividade dos combustíveis limpos
Renato Cunha cobra mais esforços pela competitividade dos combustíveis limposFoto: Úrsula Freire

Uma reunião com o presidente da Câmara Rodrigo Maia, o líder do governo na câmara, Major Vitor Hugo, representantes do Governo Federal e do setor sucroenergético foi realizada nesta terça-feira em Brasília para negociar uma flexibilização com o governo para uma melhor distribuição dos 750 milhões de litros de etanol de milho importado dos Estados Unidos. O encontro teve o objetivo de discutir uma melhor solução para que o produto chegue em menor quantidade ao Nordeste.

Na ocasião, a Associação de Produtores de Açúcar, Etanol e Bionergia (Novabio Nordeste), que representa indústrias produtoras de açúcar, etanol e bioenergia e a Federação Dos Plantadores de Cana do Brasil (Feplana), propuseram que parte dos 750 milhões de litros de etanol oriundos dos Estados Unidos tenha como principal destino a região centro-sul do Brasil, com a justificativa de que o Nordeste não suportaria receber grande quantidade devido a forte produção local do etanol de cana-de-açúcar.

A proposta do setor sugere que dos 750 milhões de litros que serão enviados para todo o Brasil, 700 milhões (93%) seja destinado para os estados do centro-sul, enquanto os 50 milhões de litros restantes (7%) sejam destinados para a região nordeste apenas na entressafra de junho, julho e agosto do próximo ano.
No final de agosto o Governo Federal fez a liberação de mais etanol sem imposto dos Estados Unidos para o Brasil, aumentando em 150 milhões de litros por mais um ano a entrada do produto.

O presidente do Grupo EQM, Eduardo Monteiro também participou do evento juntamente com o presidente executivo do Sindicato da Indústria do Açúcar e do Álcool no Estado de Pernambuco (Sindaçúcar-PE) e da Novabio Nordeste, Renato Cunha, que apresentou a proposta. “Fizemos a proposta e o governo ficou de estudar, houve uma proposição da Novabio, para fazer com que somente 7% desse etanol americano chegue ao Nordeste, que não tem condições de absorver essa quantidade na safra, ele precisa ir para o centro-sul mantendo equidade na produção. Já que houve essa concessão sem contrapartida do mercado, achamos melhor destinar ao Porto de Santos”, destacou Cunha.

Na próxima terça-feira haverá outra reunião com o Governo Federal, e na mesma semana o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM), pode colocar em votação o Projeto de Decreto Legislativo (PDC) do etanol, que trata sobre a venda direta do produto a partir das usinas.

Participaram também o deputado Aguinaldo Ribeiro, além de 20 parlamentares sendo nove pernambucanos e seis alagoanos. Além deles, participaram também o presidente da Feplana, Alexandre Andrade Lima, representantes do Ministério da Agricultura, da Economia, das Relações Exteriores e da Secretaria de Comércio Exterior.

veja também

comentários

comece o dia bem informado: