Black Friday
Black FridayFoto: Arthur Mota/Folha de Pernambuco

O tão esperado dia da Black Friday chegou. Esta sexta-feira (29) está repleta de altas expectativas de faturamento para aquecer as vendas, deixando o comércio otimista. Para os consumidores, é a oportunidade perfeita para aproveitar as grandes promoções, garantir os produtos que desejam e antecipar as compras de Natal.

De acordo com uma pesquisa da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), os brasileiros devem comprar cerca de três produtos e gastar R$ 1.132 durante o evento.

Como a Black Friday é uma data originalmente voltada para o e-commerce, não é surpresa que as lojas on-line tenham a preferência dos consumidores (77%) no levantamento. Na sequência, aparecem as lojas físicas (54%) de shoppings (33%), as lojas de rua e de bairros (28%) e os supermercados (16%).

Na lista de itens mais procurados, as roupas lideram a lista de compras dos consumidores, com 36% das menções. Os eletrodomésticos aparecem em segundo lugar (31%) e os calçados ocupam a terceira posição (29%), enquanto celulares e smartphones vêm na sequência (28%) entre os produtos que devem ser mais adquiridos nesta Black Friday.

Leia também:
Confira as dicas para aproveitar as oportunidades na Black Friday
Só 13% dos produtos aumentam de preço antes da Black Friday


Na avaliação do presidente do SPC Brasil, Roque Pellizzaro Junior, a Black Friday deste ano promete ser diferente em relação aos outros anos. “O consumidor brasileiro está mais exigente, em busca de experiências e bons descontos. Tanto é que já começa a se preparar com antecedência para as promoções e pesquisar as ofertas antes de sair comprando. Esse novo cenário abre oportunidades para o varejo, que terá a chance de oferecer produtos com preços atrativos e alavancar as vendas, seja no ambiente físico ou on-line”, destaca.

Ainda segundo o levantamento, sete em cada dez (72%) entrevistados querem pagar pelas compras à vista, principalmente em dinheiro (48%) e no cartão de débito (34%). Ao mesmo tempo, 73% mencionaram optar pelo crédito, em especial a modalidade de cartão de crédito parcelado (45%) e cartão de crédito em parcela única (26%). No caso dos consumidores que irão pagar de forma parcelada, a média é de seis prestações. “É um sinal positivo parte significativa dos consumidores sinalizarem que devem realizar as compras à vista, sem se endividar.

O País atravessa um momento delicado, de recuperação tímida e gradual na economia, ainda com poucos reflexos práticos e favoráveis para a população. Muitas pessoas têm se esforçado para manter as contas em dia. Vale lembrar ainda que há os gastos com o Natal e compromissos de início de ano, que incluem despesas com escola, IPTU, e IPVA, por exemplo”, orienta a economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti.

veja também

comentários

comece o dia bem informado: