A cabotagem é a principal navegação das mercadorias conteinerizadas no Porto de Suape
A cabotagem é a principal navegação das mercadorias conteinerizadas no Porto de SuapeFoto: Rafa Medeiros

Pesquisa realizada pela Amcham-Brasil (Câmara Americana de Comércio) revela que 46% do empresariado considera Pernambuco como o estado mais competitivo do Nordeste. Além disso, a reforma tributária é apontado por 51,3% dos entrevistados como ferramenta para o desenvolvimento do Nordeste.

A pesquisa foi realizada entre 20 e 27 de novembro e contemplou 76 empresários e executivos da região. Essa foi a primeira vez que a Amcham aplicou uma pesquisa voltada especificamente para empresários nordestinos.

Leia também:
Governo de Pernambuco quer desenvolver regiões produtivas
Pernambuco cresce acima da média nacional e vira exemplo de gestão entre os estados brasileiros


A PEC 45 (Proposta de Emenda à Constituição), chamada de reforma tributária, visa simplificar o sistema tributário, substituindo cinco tributos (PIS, Cofins, IPI, ICMS e ISS) pelo Imposto sobre Bens e Serviços (IBS). Além disso, propõe criar o Imposto Seletivo Federal, que incidirá sobre bens e serviços cujo consumo se deseja desestimular, como bebidas alcoólicas e cigarros. Segundo dados do Banco Mundial (Doing Business 2019), uma empresa brasileira leva cerca de 1.958 horas para pagar seus tributos. A média de 190 países pesquisados é de 206 horas.

Para Alessandra Andrade, superintendente da Região Nordeste da Amcham-Brasil, a pesquisa teve como principal resultado ressaltar a importância da reforma tributária para o empresariado nordestino e brasileiro como um todo. “Isso corrobora com o trabalho que a Amcham-Brasil tem feito no nosso Grupo de Trabalho de Eficiência Tributária (GTET), formado por executivos tributários das empresas sócias. Em setembro, elaboramos 18 sugestões de mudança nos dispositivos legais da PEC 45 e esse documento foi entregue ao presidente da Câmara, Rodrigo Maia”, diz.

Competitividade
Ao avaliar o desempenho de Pernambuco, que atraiu R$ 15 bilhões em novos negócios em 2019, os empresários nordestinos apontaram alguns diferenciais locais, como a existência de centros de tecnologia, localização geográfica - perto da Europa e Estados Unidos - facilidades logísticas e mão de obra qualificada. Apontado como o estado mais competitivo (46%), Pernambuco foi seguido do Ceará (30,3%), Bahia (22,4%) e Rio Grande do Norte (1,3%).

veja também

comentários

comece o dia bem informado: