O Índice de Medo do Desemprego caiu 2,2 pontos percentuais em setembro
O Índice de Medo do Desemprego caiu 2,2 pontos percentuais em setembroFoto: Marcello Casal/Arquivo/Agência Brasil/Agência Bras

O Índice de Medo do Desemprego caiu 2,2 pontos percentuais em setembro na comparação com junho e ficou em 65,7 pontos. O indicador, que é 2 pontos inferior ao de setembro de 2017, está muito acima da média histórica, de 49,7 pontos. A informação é da pesquisa trimestral divulgada nesta quinta-feira (4) pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). O indicador varia de zero a 100 pontos. Quanto maior o índice, maior o medo do desemprego

A maior queda foi no Sudeste – o índice caiu 5,8 pontos entre junho e setembro e reverteu o aumento de 4,8 pontos registrado entre março e junho. Mesmo assim, o medo do desemprego no Sudeste, que atingiu 64 pontos, é o segundo maior do país. Os moradores do Nordeste são os que têm mais medo do desemprego. Naquela região, o índice alcançou 73,1 pontos em setembro, valor que é 1 ponto menor que o de junho.

Leia também:
Brasileiros apostam no empreendedorismo contra o desemprego
Emprego na indústria fica praticamente estável em agosto, indica CNI
Bancos citam eleições como risco à estabilidade financeira, diz Banco Central
Confiança da Indústria tem primeira queda trimestral em quase dois anos
Vice de Bolsonaro, Mourão critica 13º salário e fala em reforma trabalhista 'séria'

No Sul
, o medo do desemprego aumentou para 62,7 pontos em setembro e está 0,8 ponto acima do registrado em junho. Com isso, o medo do desemprego na região está acima do verificado no Norte/Centro-Oeste, onde o índice subiu 2,3 pontos entre junho e setembro e alcançou 60,9 pontos.

Satisfação com a vida

O levantamento também mostra que o Índice de Satisfação com a Vida subiu para 65,9 pontos em setembro e está 1,1 ponto acima do verificado em junho. Mesmo assim, o indicador continua abaixo da média histórica de 69,7 pontos. 

O indicador varia de zero a 100 pontos.
Quanto menor o indicador, menor é a satisfação com a vida. Esta edição da pesquisa ouviu 2 mil pessoas em 126 municípios entre 22 e 24 de setembro.

veja também

comentários

comece o dia bem informado: