Educação financeira via WhatsApp
Educação financeira via WhatsAppFoto: Paullo Allmeida / Folha de Pernambuco

Lidar com as próprias finanças ainda é algo difícil para a maior parte dos brasileiros, tanto que 62 milhões de pessoas estão inadimplentes no País, segundo o SPC. Mas a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) quer mudar essa realidade. Por isso, elaborou um guia básico de educação financeira para a população. E essas dicas serão repassadas gratuitamente pelo WhatsApp.

Leia também:
Pernambuco tem 703 mil sem emprego
Procon Recife realiza mutirão de renegociação de dívidas na próxima semana
Número de endividados e inadimplentes cresce de julho para agosto
Hábito de poupar segue tímido no País


Superintendente de Proteção e Orientação aos Investidores da CVM, José Alexandre Vasco explicou que o WhatsApp é um modo simples e efetivo de alcançar a população, já que mais de 120 milhões de brasileiros, de todas as idades e classes sociais, usam o aplicativo. “Queremos nos aproximar dos cidadãos e percebemos que o WhatsApp tem uma ampla aceitação, especialmente no público que queremos atingir: a nova classe média e as pessoas da classe C que não têm renda estável”, explicou Vasco, contando que o projeto teve um resultado positivo quando foi testado em comunidades do Rio de Janeiro. “As pessoas gostaram de receber nossas mensagens e várias disseram que conseguiram poupar com as dicas. Por isso, agora lançamos o projeto em larga escala em todo o Brasil”, contou.

Batizado de Precisamos Falar Sobre Dinheiro, o projeto começa na próxima segunda-feira (19) com um programa de educação financeira elaborado por especialistas da CVM e psicólogos. São três meses de mensagens sobre organização financeira, poupança e noções básicas de investimentos - dicas que chegarão diariamente pelo WhatsApp de diversas formas: texto, áudio e até memes. Os interessados em receber essas informações só precisam se cadastrar na lista de transmissão da CVM enviando, também pelo aplicativo, a mensagem “Quero Participar” para o número (21) 99450-5914. E quem perder o início do “curso” não precisa se preocupar, pois a CVM promete reiniciar o programa depois desses três meses.

“A informação é o primeiro passo para que o indivíduo tenha uma visão clara do seu orçamento e encontre um caminho adequado para atingir seus objetivos. Por isso, vamos trabalhar com finanças pessoais básicas para ajudar as pessoas a organizar sua vida financeira, saindo do endividamento e se possível começando a poupar”, contou Vasco, garantindo que todos conseguirão acompanhar o programa. “Vamos tratar de competências básicas, como orçamento doméstico. Ou seja, são mensagens para quem está começando a enveredar nas finanças pessoais”, afirmou Vasco, destacando que o objetivo do Precisamos Falar Sobre Dinheiro é fomentar a poupança mesmo nas classes mais baixas.

"O Brasil tem uma taxa de poupança muito baixa. E essa taxa ainda vem caindo. Mesmo nos anos de crescimento, quando 40 milhões de pessoas saíram da pobreza, essa taxa caiu. Ou seja, não é só uma questão de renda, mas uma questão cultural. Precisamos, então, ampliar a conscientização financeira da população”, justificou Vasco, afirmando que um alto grau de poupança amplia o bem estar financeiro dos cidadãos e também da economia nacional, pois favorece os investimentos produtivos. E quem já pode pensar em investimentos desse tipo também pode contar com orientações da CVM, só que no site e nas redes sociais do órgão, que é vinculado ao Ministério da Fazenda.

comece o dia bem informado: