Antes da isenção, o banco cobrava 0,4% ao ano para manter a aplicação
Antes da isenção, o banco cobrava 0,4% ao ano para manter a aplicaçãoFoto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil/Agência Br

A Caixa anunciou nesta sexta-feira (19) a isenção da taxa de custódia para todos os seus clientes que aplicam no Tesouro Direto, programa do governo federal de compra e venda de títulos públicos. Até então, o banco cobrava um taxa de 0,4% ao ano para manter a aplicação.

Segundo o vice-presidente de Finanças e Controladoria do banco estatal, o objetivo é manter uma cesta de produtos e serviços competitivos, associada à solidez do banco. "Atenta às condições de mercado, a Caixa aprovou a isenção da taxa de custódia para todos os seus clientes, indistintamente.

Leia também:
Caixa disponibiliza consignado com garantia do FGTS
Ambiente local favorece a atração de novos investimentos em Pernambuco
Governo recebe sugestões sobre investimentos na Zona Franca de Manaus
BB lidera ranking de reclamações no terceiro trimestre
Boletos vencidos já podem ser pagos em qualquer banco


Assim, tornamos essa alternativa de investimento ainda mais rentável, fortalecendo o relacionamento com nossos clientes investidores", comentou. A medida já está em vigor e vale para os clientes que possuem estes produtos e também os novos negócios.

A Caixa foi o último entre os maiores bancos do país a zerar a taxa de investimento para o Tesouro Direto. Bradesco, Itaú, Santander e Banco do Brasil já praticam a isenção. Foi a concorrência com corretoras independentes que fez com que os grandes bancos zerasssem suas taxas de aplicação nesse tipo de investimento.

Para aplicar no Tesouro Direto pela Caixa, o cliente deve realizar seu cadastramento no serviço de forma eletrônica, pelo Internet Banking. Todas as operações e acompanhamentos também são realizados eletronicamente pelo próprio cliente.

Tesouro Direto
O Tesouro Direto é um Programa do Tesouro Nacional desenvolvido em parceria com a Bolsa de Valores (denominada B3) para negociação (compra e venda) de títulos públicos federais para pessoas físicas, por meio da internet.

O valor mínimo para investimento é de R$ 30, desde que seja múltiplo de 1% do valor do título a ser adquirido. Neste tipo de aplicação, o próprio cliente realiza a compra e venda de seus títulos de forma eletrônica, como desejar, com liquidez diária.

veja também

comentários

comece o dia bem informado: