Roberto Castello Branco, presidente da Petrobras
Roberto Castello Branco, presidente da PetrobrasFoto: Fernando Frazão/Agência Brasil

O presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco, negou que tenha havido uma intervenção do governo na empresa e disse que o governo prepara medidas para os caminhoneiros, que não têm relação com a política de preços da Petrobras. "Uma coisa é o governo, outra é a Petrobras", afirmou, após reunião no Palácio do Planalto. Ele afirmou que a empresa vai decidir quando o diesel será reajustado e a sua política de preços não têm relação com as políticas de governo.

"Vamos decidir quando vai ser reajustado ou não. É uma decisão empresarial, diferente da decisão do governo, de políticas públicas", afirmou. Segundo Castello Branco, isso significa que a empresa é livre para fixar o preço do diesel. O executivo afirmou que o Bolsonaro não ordenou o congelamento do diesel. "A decisão foi tomada pela diretoria da Petrobras", disse.

Leia também:
Petrobras corta patrocínio de festivais de cinema, música e teatro
Ao STF, Dodge defende tabela de frete para caminhoneiros
Eu não sei nem do que vocês estão falando, diz Guedes sobre intervenção da Petrobras


"Ninguém ordenou que a Petrobras não reajustasse." Castello Branco disse que o governo prepara medidas para atender os caminhoneiros, que devem ser anunciadas nesta terça-feira (16).

Ele negou que o governo vá reeditar a subvenção do diesel, como no ano passado.
"Não ouvi falar disso, até porque a Petrobras é livre [para fixar seus preços]", afirmou.
A expectativa é que o Palácio do Planalto dê informações sobre a política que será adotada para atender os caminhoneiros.

veja também

comentários

comece o dia bem informado: