Paulo Guedes, ministro da Economia
Paulo Guedes, ministro da EconomiaFoto: José Cruz/Agência Brasil

O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou nesta terça-feira (17) que há "jabutis" na PEC da reforma da Previdência. Ele disse que apresentou um texto exclusivamente técnico e outros artigos foram incluídos pelo time político do PSL.

Sobre a idade máxima de aposentadoria dos ministros do STF, chamada de PEC da Bengala, Guedes afirmou que "pode ter sido um jabuti e que pode ser recuado". Ele deu entrevista ao programa de TV Central GloboNews.

No jargão adotado no Congresso, um tema sem pertinência com a matéria principal de um projeto costuma ser chamado de jabuti –alusão ao fato de que o animal não sobe em árvore sozinho, e se está lá é porque alguém colocou por algum motivo.

Leia também:
Guedes afirma ser possível reverter 'decisão não muito razoável' de Bolsonaro
Guedes diz que país não pode ficar parado esperando a reforma


Guedes afirmou que o próprio Marinho incluiu medidas na PEC que ele não concordava. Sobre a desidratação da PEC e a consequente queda na economia que ela representaria, Guedes afirmou que o "mercado está errado". "Conta cada um faz a sua. Vamos economizar mais de R$ 1 trilhão", disse.

"Se vier uma reforma menor e uma economia de R$ 500 mil ou R$ 600 mil, vai ser uma reforma à la Temer", disse. Guedes afirmou que se isso acontecer não haverá o sistema de capitalização e o problema da Previdência voltará no próximo governo.

O ministro afirmou que o "Brasil economicamente é um desastre e isso foi construído ao longo de 30 anos". Ele defende que com a reforma, haverá retomada do crescimento. "Com a reforma aprovada no primeiro semestre, de julho pra frente, [o país] já começa a crescer 3%".

veja também

comentários

comece o dia bem informado: