In Loco
In LocoFoto: Tato Rocha/arquivo

Detentora de uma tecnologia inovadora de localização, a empresa pernambucana In Loco tem despertado a atenção do mercado de tecnologia e até dos órgãos reguladores do governo brasileiro. Por isso, decidiu criar um espaço de discussão para tratar de soluções tecnológicas que devem ganhar força nos próximos anos e que norteiam seus produtos. É a In Loco University, projeto que vai abordar temas como proteção de dados, marketing digital, varejo e tecnologia mobile em debates gratuitos.

CEO da empresa, André Ferraz disse que a In Loco está abrindo um novo mercado no Brasil com a publicidade digital que se baseia na geolocalização dos usuários. O desafio tem sido bem sucedido, mas ainda enfrenta questionamentos de quem não entende seu modus operandi. Por isso, a In Loco decidiu criar um hub de compartilhamento de informações acerca dessa e de outras soluções - a In Loco University.

"Criar mercados traz uma complexidade maior para tocar e crescer o negócio. Então, o objetivo da In Loco University é ajudar a educar o mercado sobre o que a gente faz e quais as aplicações das nossas tecnologias", justificou o CEO da empresa, André Ferraz, explicando que a ideia é "trazer conteúdo de qualidade sobre temas que permeiam o negócio da In Loco".

O projeto foi lançado ontem com um debate sobre "Privacidade e Lei Geral de Proteção de Dados: Fatos e Mitos" no novo prédio da empresa em São Paulo: um edifício de dois andares na Avenida Cidade Jardim.

Na ocasião, Ferraz admitiu também que, com esse processo de conscientização do mercado, espera gerar ainda mais negócios. E é por isso que o primeiro debate ocorreu em São Paulo e não na sede da empresa no Recife. "São Paulo tem uma concentração maior de clientes", explicou Ferraz, garantindo, porém, que também promove eventos na capital pernambucana. Aqui, no entanto, o foco é o desenvolvimento de tecnologia e o recrutamento de colaboradores. Por isso, as discussões voltadas a negócios devem continuar em São Paulo, enquanto os debates sobre tecnologia virão para o Recife.

Lançamento
O primeiro debate da In Loco University recebeu o secretário de políticas digitais do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Thiago Lopes, e o advogado especializado em crimes digitais e compliance Marcelo Crespo. Eles discutiram as vantagens e as obrigações que a Lei de Proteção de Dados vai impor a consumidores e empresas a partir de fevereiro de 2020. Já Ferraz aproveitou para garantir que a In Loco já está preparada para a legislação e disse que, além de ajudar a empresa a se posicionar sobre o assunto, o debate ajudou seus colaboradores. "Com a In Loco University, também vamos ouvir o mercado. Aqui, por exemplo, ouvimos o governo e o segmento jurídico falando de um tema do nosso interesse. Havia pessoas da In Loco se educando, o que é muito importante", avaliou Ferraz.

veja também

comentários

comece o dia bem informado: