Em Lisboa? Não deixe de andar, ao menos uma vez, no famoso bondinho
Em Lisboa? Não deixe de andar, ao menos uma vez, no famoso bondinhoFoto: Priscilla Aguiar/Portal FolhaPE

A minha primeira vez em Lisboa, nas férias do ano passado, foi "fixe", "bué de bom", com muita praia "brutal" e muitos homens "giros". Pois é, nem só de "ora pois" são feitas as expressões portuguesas. Se pensa em visitar terras lusitanas, é bom se acostumar. Algumas vezes pode ser um pouco complicado entender palavras muito usadas por eles. Mas, de modo geral, o brasileiro consegue se comunicar bem. É um destino grato para quem não sabe falar outro idioma.

Quem tem a capital portuguesa como destino, certamente sabe o básico sobre os seus famosos bondinhos, os pontos turísticos mais visitados e as sete colinas coroadas por um castelo mourisco e banhadas pela luz. Mas é bem provável que ninguém tenha lembrado de avisar alguns detalhes importantes. 

A Praça do Comércio (uma das maiores da Europa, com mais de 35 mil m²) é a ante-sala de Lisboa, para quem é recifense seria o equivalente ao nosso Marco Zero. O pastel de nata, seguindo esta linha de raciocínio, com certeza seria o bolo de rolo. É melhor não chamá-lo de pastel de belém. Os portugueses não ficam muito felizes, mas explico isso melhor pelos próximos parágrafos.

Outra informação importante e que ninguém comenta é que a maior parte dos calçados usados no Brasil fica extremamente escorregadio quando você caminha pelas ladeiras lisboetas. E elas não são poucas. É comum até mesmo quem mora por lá cair vez ou outra. Então anota essa: olhe a sola dos seus sapatos e escolha ao menos um antiderrapante.

Leia também:
Coluna sobre viagens estreia nesta terça no Portal FolhaPE
Lisboa é eleita como o melhor porto de cruzeiros da Europa
Brasileiro derruba estátua ao tentar tirar selfie em museu de Lisboa


Depois de quase rolar ladeira abaixo algumas vezes, escolhi começar a conhecer Lisboa pelo Castelo de São Jorge, palco de diversos acontecimentos históricos e com passeios guiados gratuitamente às 12h e 16h. Das suas muralhas, à sombra de pinheiros, você tem uma bela vista da cidade e já pode ficar de olho nos próximos lugares que poderá visitar, como a Ponte 25 de Abril (a Golden Gate portuguesa), a Praça do Comércio e o Cristo Rei, que não tem metade do tamanho do Cristo Redentor (RJ), mas que, além de ser inspirado no monumento carioca, é uma agradecimento a Deus por livrar Portugal de participar da Segunda Guerra Mundial.

Pelas ruas de Lisboa, em Portugal

Pelas ruas de Lisboa, em Portugal - Crédito: Arquivo pessoal


Caminhe bastante pelas ruas. Cada esquina e construção portuguesa tem uma grata surpresa arquitetônica. Pegue, ao menos uma vez, o famoso bondinho. Por sinal, ele é o meio de transporte mais fácil para chegar até Belém, onde não é difícil imaginar os tempos pioneiros da Era dos Descobrimentos olhando para o Tejo.

Por favor, não deixe de provar o mais famoso pastel de nata daquele país, na Pastéis de Belém. É delicioso mesmo, mas existem outros locais com pastel de nata idêntico ou tão bom quanto,  como o da Manteigaria. Por isso que chamar o quitute de "pastel de Belém", como conhecemos no Brasil, não pega muito bem. Ainda em Belém, você pode visitar o Mosteiro dos Jerônimos e o Museu Colecção Berardo. Depois, assistir o pôr do sol bebericando algo à beira do Rio Tejo.





Uma colina pra chamar de minha

Na "cidade montanha-russa", que tem seus enormes morros e encostas como alguns dos símbolos mais marcantes, eu escolhi uma das sete colinas para "chamar de minha". Localizado na Freguesia de Misericórdia, a Colina de Santa Catarina percorre a região do Largo de Camões até à Calçada do Combro. O ponto mais alto do monte abriga o Museu da Farmácia e o Miradouro de Santa Catarina.

É um local incrível para curtir o fim do dia, ouvindo música, apreciando o pôr do sol com uma vista deslumbrante e tomando um vinho ou uma cerveja. Lisboa, por sinal, ainda rende muito "pano pra manga". Então, não se preocupem. Na coluna da próxima terça-feira (17) vou reunir algumas dicas sobre o que você não pode deixar de comer por lá.

Expressões portuguesas vs brasileiras
Fixe - é no nosso "massa"
Bué de bom - bom demais
Brutal - incrível
Giro e gira - bonito e bonita

E-mail: [email protected]
Instagram: @ahvamosviajar
Facebook: /AhVamosViajar
Youtube: c/Ahvamosviajar

* Priscilla Aguiar é jornalista, editora adjunta do Portal FolhaPE e criadora dos perfis 'Ah, vamos viajar' no Instagram, Facebook e Youtube com dicas fotos e vídeos de suas passagens por pelo menos 15 países. Em maio, a colunista irá voltar a países como Portugal, Alemanha e Espanha, além de conhecer a Grécia.

* A Folha de Pernambuco não se responsabiliza pelo conteúdo das colunas

Em Lisboa? Não deixe de andar, ao menos uma vez, no famoso bondinho
Em Lisboa? Não deixe de andar, ao menos uma vez, no famoso bondinhoFoto: Priscilla Aguiar/Portal FolhaPE
Castelo de São Jorge. Lisboa, Portugal
Castelo de São Jorge. Lisboa, PortugalFoto: Arquivo pessoal
Cais Do Sodre. Lisboa, Portugal
Cais Do Sodre. Lisboa, PortugalFoto: Arquivo pessoal
Festival de Música em Belém, Portugal
Festival de Música em Belém, PortugalFoto: Priscilla Aguiar/Portal FolhaPE
Cais Do Sodre. Lisboa, Portugal
Cais Do Sodre. Lisboa, PortugalFoto: Arquivo pessoal
A Feira da Ladra, a mais antiga de Lisboa, já foi uma espécie de mercado itinerante
A Feira da Ladra, a mais antiga de Lisboa, já foi uma espécie de mercado itineranteFoto: Priscilla Aguiar/Portal FolhaPE
Padrão dos Descobrimentos. Belém, Portugal
Padrão dos Descobrimentos. Belém, PortugalFoto: Priscilla Aguiar/Portal FolhaPE

veja também

comentários

comece o dia bem informado: