Edital da Arena de PE vai ser republicado

Os dados serão analisados pelo Governo, que, em data ainda não definida, vai anunciar as empresas capacitadas para fazer o estudo

Empresas poderão apresentar propostas para o estádioEmpresas poderão apresentar propostas para o estádio - Foto: Rafael Furtado

 

Suspenso pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE), o edital que vai contratar o estudo de viabilidade técnica e financeira da Arena de Pernambuco será republicado pela Secretaria de Turismo, Esportes e Lazer (Seturel) nesta quinta-feira (2). O prazo foi antecipado pelo atual diretor-presidente do estádio, Gustavo Catalano, que disse já ter adotado todas as sugestões do TCE na minuta do edital.

“Assim que o Tribunal de Contas pediu a suspensão, em novembro, nós cancelamos o prazo do edital. De lá para cá, fizemos todas as correções necessárias e, então, recebemos a autorização pra dar andamento ao processo”, contou Catalano, dizendo que as mudanças solicitadas pelo TCE foram, na sua maioria, pontuais.

Havia, por exemplo, a recomendação de que alguns pontos fossem mais bem esclarecidos e de que a Comissão Permanente de Licitação da Seturel fosse designada como auxiliar da comissão formada pelo governados Paulo Câmara para pôr fim ao imbróglio da Arena de Pernambuco, cuja administração está nas mãos do Estado desde que o contrato de Parceria Público-Privada (PPP) com a Odebrecht foi rompido, em junho do ano passado.

“Fizemos esta designação para que a comissão da Seturel tenha autoridade para lançar o edital. E, na quinta-feira (amanhã), estaremos relançando este documento com um prazo de 30 dias para as empresas apresentarem as propostas dos estudos de viabilidade”, revelou Catalano, que também preside a Comissão da Arena.

Ele lembrou que, neste primeiro momento, as empresas interessadas em realizar o estudo que vai apontar o novo modelo de gestão do estádio vão apresentar os documentos que comprovam sua capacidade de efetuar esse procedimento. Os dados serão analisados pelo Governo, que, em data ainda não definida, vai anunciar as empresas capacitadas para fazer o estudo.

Elas terão 180 dias para apresentar a conclusão final sobre a viabilidade econômica do estádio. O prazo inicial era de 120 dias, mas ele foi alargado a pedido do TCE.

É diante desses estudos que o Estado vai definir como a Arena será entregue às mãos da iniciativa privada. Entre as alternativas, estão a concessão simples e até uma nova PPP. Porém, a empresa que apontar esse modelo não será necessariamente a nova gestora da Arena. É que, escolhida a forma de exploração, o Governo vai lançar outra licitação para contratar a próxima concessionária do empreendimento. Por conta disso, ainda não se sabe quando a Arena deixará de ser administrada pelo Estado, que, inicialmente, pretendia gerir o estádio somente até o fim de 2016.

 

Veja também

2021-2029. Quais forças ditarão na próxima década? Parte III
Diplomacia Econômica

2021-2029. Quais forças ditarão na próxima década? Parte III

Consumidor deve ter calma ao aceitar produtos financeiros
Economia

Consumidor deve ter calma ao aceitar produtos financeiros