Em alta, dólar começa a ser vendido parcelado no Recife

Europa Câmbio inaugurou modalidade oferecendo a possibilidade de dividir em até seis vezes no cartão de crédito a compra de moeda estrangeira

Parcelamento de dólarParcelamento de dólar - Foto: Henrique Genecy / Folha de Pernambuco

Com a reação do mercado financeiro ao cenário eleitoral, o dólar turismo passou a ser vendido por mais de R$ 4,20 - valor que pode afugentar os consumidores das casas de câmbio do Recife. Empresários do setor explicam que o dólar já estava sendo considerado caro antes desse pico, quando custava cerca de R$ 4. Por isso, neste mês de agosto, as vendas já caíram mais de 20% em algumas corretoras. A solução para manter as vendas tem sido, então, apelar para negociações. A Europa Câmbio, por exemplo, passou a parcelar em até seis vezes a moeda estrangeira.

Leia também:
Dólar fecha a R$ 4, maior valor desde fevereiro de 2016
Casas de câmbio já aceitam cartão de crédito para compra de moeda

“O câmbio está caro e continua subindo muito. Até as eleições, a cotação ainda pode variar bastante”, justificou o diretor comercial da Europa Câmbio, Edisio Pereira Neto, lembrando que o cartão de crédito já vinha sendo usado por muitos clientes de câmbio. Desde o ano passado, quando foi implantado na modalidade do rotativo, este meio de pagamento já movimentou R$ 15 milhões na Europa Câmbio. E, agora, este valor deve crescer, devido à possibilidade do parcelamento. “Hoje em dia, as pessoas podem pagar toda a viagem parcelada, das passagens ao hotel. Mas o câmbio, não podia”, lembrou Neto, garantindo que o parcelamento é vantajoso.

“Quando não consegue comprar toda a moeda que precisa para sua viagem, a pessoa acaba tendo que usar o cartão de crédito no exterior. Mas esta transação está sujeita a juros de 6,38%. É melhor, então, usar o cartão aqui”, explicou Neto, dizendo que os juros no parcelamento geralmente são menores. Em três parcelas, por exemplo, os juros são de 5%. Em cinco, 6%. Só quando a compra é dividida em seis vezes que a taxa passa dos 6,38%, chegando a 6,5%. “Mesmo assim, é mais vantajoso, porque fixamos a taxa de câmbio do parcelado no dia da compra. A pessoa sabe, então, quanto vai pagar. Já a compra no exterior é calculada de acordo com o vencimento da fatura”, explicou.

Atenta ao movimento, a Labor deve lançar o parcelamento nos próximos dias. Já a Boa Viagem Câmbio e a Recife Câmbio têm apostado no rotativo. “Estamos começando a aceitar o cartão porque o movimento caiu de 20% a 30% em relação a julho por causa da alta do dólar”, revelou o analista da Recife Câmbio, Pedro Pragana.

Veja também

Atraso na análise do Orçamento põe em risco verba para educação
Fundeb

Atraso na análise do Orçamento põe em risco verba para educação

Juros para famílias caem ao menor nível histórico em 2020, diz BC
Economia

Juros para famílias caem ao menor nível histórico em 2020, diz BC