BOLSA DE VALORES

Em dia de alívio, dólar tem maior recuo diário em três semanas

Bolsa sobe 1,33% e recupera queda de última quarta (23)

DólarDólar - Foto: Marcello Casal Jr. / Agência Brasil

Num dia de alívio nos mercados externos, a moeda norte-americana teve a maior queda diária em três semanas. O dólar comercial fechou esta quinta-feira (24) vendido a R$ 5,51, com recuo de R$ 0,077 (-1,38%), depois de quatro sessões seguidas de alta.

Desde 1º de setembro, quando havia caído 1,75%, o dólar comercial não recuava tanto em um único dia. A divisa chegou a abrir em alta, atingindo R$ 5,61 na máxima do dia, por volta das 11h. No entanto, a cotação recuou a partir do fim da manhã, quando notícias vindas dos Estados Unidos animaram o mercado em todo o planeta.

O presidente do Federal Reserve (Banco Central dos Estados Unidos), Jerome Powell, e o secretário do Tesouro norte-americano, Steven Mnuchin, informaram que centenas de bilhões de dólares que seriam usados para aliviar os efeitos da pandemia de covid-19 poderiam ser realocados para ajudar famílias e empresas dos Estados Unidos.

Paralelamente, a imprensa norte-americana noticiou que deputados democratas estariam preparando um pacote adicional de estímulos de US$ 24 trilhões. A medida aliviaria as negociações no Congresso norte-americana emperradas há meses por causa das proximidades nas eleições na maior economia do planeta.

No mercado de ações, o dia foi marcado pela recuperação. Depois de ter fechado o dia de ontem (23) abaixo dos 96 mil pontos pela primeira vez desde junho, o índice Ibovespa, da B3 (a bolsa de valores brasileira), fechou esta quinta-feira aos 97.012 pontos, com alta de 1,33%.

Veja também

BC mantém Selic a 2% ao ano mesmo com pressão inflacionária
economia

BC mantém Selic a 2% ao ano mesmo com pressão inflacionária

Desemprego vai aumentar em 2021 com maior busca por vagas, diz secretário de Guedes
trabalho

Desemprego vai aumentar em 2021 com maior busca por vagas, diz secretário de Guedes