Embraer propõe suspender contratos de trabalho e reduzir salário de quem fica em 25%

Também haverá a suspensão de parte dos contratos de trabalho por 60 dias

Avião da EmbraerAvião da Embraer - Foto: Wikimedia Commons

A Embraer apresentou nesta segunda-feira (6) uma proposta de redução de jornada salarial de 25% de seus funcionários das áreas de engenharia e de linhas de produção de suas fábricas, segundo pessoas familiarizadas com as negociações.

Também haverá a suspensão de parte dos contratos de trabalho por 60 dias. As medidas têm o objetivo de reduzir os custos da empresa em meio à pandemia do novo coronavírus, e são previstas pela MP (Medida Provisória) 935, editada pelo governo federal no dia 1º de abril.

A companhia já iniciou a divulgação das propostas a funcionários por meio de mensagens de Whatsapp, segundo Weller Gonçalves, presidente do sindicato dos metalúrgicos de São José dos Campos.

Leia também:
Fundos regionais abrem linhas de crédito emergencial com juros a 2,5% ao ano por coronavírus
Como ficam as demissões no período de crise do coronavírus


No caso dos engenheiros, a suspensão de contratos chegariam a atingir até 60% de algumas áreas da empresa, de acordo com funcionários da empresa ouvidos pela reportagem.

A proposta da Embraer prevê que a maioria dos funcionários que não terá contrato suspenso passe a trabalhar em regime de home office, com redução de 25% de jornada e de salários por três meses. A oferta depende de aprovação dos trabalhadores em assembleia virtual sindicatos da categoria.

"O ideal é que não haja trabalhadores na fábrica, e pedimos isso [por causa da pandemia do novo coronavírus]. Mas a empresa disse que neste primeiro momento precisa garantir peças de reposição principalmente para aviões do governo e para a fabricação de respiradores", disse Hebert Claros, do sindicato dos metalúrgicos de São José dos Campos em vídeo aos trabalhadores.

Os empregados que desempenham atividades que exigem o trabalho exclusivo nas dependências da empresa não terão redução de jornada e salário, segundo a proposta à qual a reportagem teve acesso. A companhia também proibirá a realização de horas extras.

"Na nossa visão, a empresa deveria garantir no mínimo 100% do salário líquido para todos. As multinacionais têm total condição de garantir o pagamento dos funcionários", afirmou Weller Gonçalves no vídeo.

Procurada, a Embraer afirmou em nota que as medidas ainda estão em discussão com os sindicatos, mas confirma a possibilidade de redução da jornada de trabalho e suspensão temporária de contratos.

A empresa diz que busca "a decisão mais adequada para proteger os colaboradores do contágio pelo coronavírus e, ao mesmo tempo, manter atividades essenciais para atender clientes e a população, de forma a preservar empregos e a continuidade dos negócios."

A pandemia de coronavírus impactou negativamente nos negócios da empresa, e pode colocar em xeque o a compra da divisão de aviação comercial da Embraer pela Boeing, maior negócio da área aeroespacial da história do Brasil, conforme reportagem da Folha de S.Paulo.

Acompanhe a cobertura em tempo real da pandemia de coronavírus

 

 

Veja também

TCU aponta ilegalidade em uso de dinheiro do SUS para distribuir cloroquina e cobra Pazuello
Saúde

TCU aponta ilegalidade em uso de dinheiro do SUS para distribuir cloroquina e cobra Pazuello

Dólar recua para R$ 5,32 após divulgação de ata do Copom
Câmbio

Dólar recua para R$ 5,32 após divulgação de ata do Copom