Emprego melhora em Pernambuco

Saldo da geração de vagas com carteira assinada foi positivo no mês passado, com 794 postos criados

No País, foram abertos 35.900 postos no mês de julhoNo País, foram abertos 35.900 postos no mês de julho - Foto: Rafael Neddermeyer/fotos públicas

Pernambuco gerou 794 empregos formais no mês de julho deste ano. O saldo é o único positivo para o mês desde 2012, quando 2.259 vagas foram geradas, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgado pelo Ministério do Trabalho. O resultado foi puxado pelos empregos na indústria de transformação e na agropecuária, responsáveis por incrementar, respectivamente, 938 e 973 postos de trabalho no referido mês. Na visão de especialistas, o Estado acompanhou o cenário nacional, cujo saldo total (que corresponde à diferença entre o número de admissões e demissões) foi de 35.900, influenciado também pelo comportamento da indústria, do comércio, dos serviços e da agropecuária.

Leia também:
Desemprego chega a 13% e tem 1ª queda desde dezembro de 2014
Pernambuco abre 2,7 mil novos empregos em junho


De acordo com a sócia da Consultoria Econômica e Planejamento (Ceplan), Tânia Bacelar, os números de Pernambuco são reflexo do que aconteceu com o País. "É a mesma tendência (quando se observa dados isolados). O mesmo aconteceu com a construção civil, que viveu o boom, a queda com a recessão econômica, sobretudo em Suape, e a lenta recuperação, que é o que vemos agora", destacou. Ainda segundo o Caged, a construção demitiu 648 trabalhadores em julho em Pernambuco, enquanto o Brasil registrou aumento de 724 vagas após 33 meses de saldos negativos. Outro setor que demitiu muito por aqui foi o de serviços, com saldo negativo de 360 empregos. No ranking, Pernambuco ficou na 15ª posição. São Paulo foi o que gerou mais emprego, com 21.805 vagas.

“Isso mostra que o País está tomando as medidas para recuperação do emprego”, disse o ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira. No País, a pesquisa detalhada mostra que o principal responsável pelo desempenho de julho foi a indústria de transformação, com a criação de 12.594 vagas. O número foi puxado pelos produtos alimentícios (7.995) e material de transporte (2.282). Esse último ramo inclui o setor automobilístico, o que sinaliza confiança na retomada do poder de compra e na demanda de crédito.

Também indica tendência de consolidação desse crescimento o desempenho dos serviços, com 7.714 novas vagas em junho, especialmente no comércio e na administração de imóveis, valores mobiliários e serviços técnicos profissionais, em que boa parte das atividades está relacionada à construção. O comércio teve desempenho positivo no atacado e no varejo. O resultado foi um saldo de 10.156 vagas. E a Agropecuária também segue gerando empregos formais, com a criação de 7.055 postos a mais em julho, principalmente por causa da cana-de-açúcar e do café.

Veja também

Apostador de Fortaleza acerta os seis números sorteados na Mega-Sena
Loteria

Apostador de Fortaleza acerta os seis números da Mega-Sena

Secretários de Fazenda apelam ao Congresso pela prorrogação do auxílio emergencial
Benefício

Secretários de Fazenda apelam ao Congresso pela prorrogação do auxílio emergencial