Empresas estatais têm lucro de R$ 24,6 bilhões no primeiro trimestre

Os números constam no 10º Boletim das Empresas Estatais Federais, divulgado nesta quinta-feira (1º),

PetrobrasPetrobras - Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

Empresas estatais federais registraram lucro de R$ 24,6 bilhões no primeiro trimestre de 2019, resultado 57,5% maior que o apurado no mesmo período de 2018 (R$ 15,6 bilhões).

Os números constam no 10º Boletim das Empresas Estatais Federais, divulgado nesta quinta-feira (1º), em Brasília, pela Secretaria de Coordenação e Governança das Empresas Estatais do Ministério da Economia.

Banco do Brasil, Caixa Econômica, Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Eletrobras e Petrobras representam mais de 90% dos ativos totais e do patrimônio líquido das estatais federais.

Leia também:
Caixa reduz juros para pessoas físicas e empresas e vai lançar app para baixa renda
Grandes empresas aéreas ficarão quase um mês sem voar ponte aérea
Petrobras pode ser punida nos EUA se fizer negócios com empresas do Irã, diz Ernesto


Entre os grupos analisados, o maior crescimento percentual verificado foi do BNDES, que saiu de um lucro de R$ 2,1 bilhões no primeiro trimestre de 2018 para R$ 11,1 bilhões no primeiro trimestre de 2019 (aumento de 437%).

Com a venda da Transportadora Associada de Gás S.A. (TAG), o número de estatais caiu de 134 para 133 até março deste ano. Após a edição do boletim, houve nova redução do número de empresas, totalizando atualmente 130 estatais.

Redução de pessoal

No primeiro trimestre deste ano, na comparação com o mesmo período de 2018, houve redução de 2,4 mil funcionários no quadro das estatais. As principais reduções ocorreram nos Correios (1.721) e no Banco do Brasil (402).

Parte da redução é resultado da implementação de programas de desligamento voluntário de empregados (PDVs).A estimativa de economia na folha de pagamentos é de R$ 1,1 bilhão.

Veja também

Conselho Monetário Nacional digitaliza e amplia programa de microcrédito
economia

Conselho Monetário Nacional digitaliza e amplia programa de microcrédito

Pesquisadores contestam impacto da reforma tributária sobre o PIB do Brasil
reforma tributária

Pesquisadores contestam impacto da reforma tributária sobre o PIB do Brasil