Economia

Estados e municípios poderão pegar mais R$ 20 bi em empréstimos

Limite de crédito foi autorizado pelo Conselho Monetário Nacional

A medida não tem impacto fiscal para a União, porque os limites valem para os entes públicos locaisA medida não tem impacto fiscal para a União, porque os limites valem para os entes públicos locais - Foto: Marcello Casal Jr. / Agência Brasil

Estados e municípios poderão contrair R$ 20 bilhões em empréstimos no sistema financeiro. O Conselho Monetário Nacional (CMN) aprovou hoje (26) o limite de crédito dos governos locais para 2021. O limite é o mesmo que vigorou no ano passado.

O teto das operações com garantia da União, quando o Tesouro Nacional cobre eventuais inadimplências, corresponderá a R$ 9 bilhões, o mesmo valor em vigor no ano passado. O limite das operações sem garantia do governo federal foi mantido em R$ 11 bilhões.

A União tem um limite de contratação de crédito de R$ 500 milhões, valor R$ 100 milhões maior que o de 2020. Dessa forma, o teto total de operações de crédito pelos três níveis de governo – federal, estadual e municipal – subiu de R$ 20,4 bilhões em 2020 para R$ 20,5 bilhões em 2021.

A medida não tem impacto fiscal para a União, porque os limites valem para os entes públicos locais. Todo ano, o CMN fixa valores máximos que a União, os estados e os municípios podem pegar emprestado no sistema financeiro. A utilização desse limite poderá ser acompanhada pelas instituições que integram o sistema financeiro e pela sociedade, por meio do site do Banco Central. 

Veja também

Comitê da Petrobras aprova nome de Caio Andrade para presidência
Novo comando

Comitê da Petrobras aprova nome de Caio Andrade para presidência

Sociedade Civil lança VI Relatório Luz no dia 30
Desenvolvimento sustentável

Sociedade Civil lança VI Relatório Luz no dia 30